Almanaque+

Corolla Cross, SUV do Corolla está pronto

A Toyota finalmente lançou o Corolla Cross, SUV feito sobre a base do sedã. O modelo foi apresentado na Tailândia, e deve ser lançado no Brasil no ano que vem. O novo carro utiliza a mesma plataforma modular do sedã, batizada de TNGA, sigla de nova arquitetura global da Toyota, em tradução livre.

O carro inédito tem 4,46 metros de comprimento, 1,82 m de largura, 1,62 m de altura e 2,64 m de entre-eixos. Essas medidas o colocam logo abaixo do RAV4, até então o único utilitário médio da Toyota. Para comparação, o RAV4 tem 4,60 m de comprimento, 1,85 m de largura, 1,68 m de altura e 2,69 m de distância entre os eixos.

Como os demais veículos feitos com base na TNGA, o Corolla Cross terá opções apenas com motor a combustão e híbrida. Na Tailândia a versão de entrada virá com o 1.8 a gasolina de 140 cv e 17,8 mkgf. A tração será dianteira e o câmbio, automático do tipo CVT

Aqui, a configuração mais simples deverá vir com o mesmo 2.0 flexível de até 177 cv que equipa o Corolla. Da mesma forma, a opção híbrida será idêntica à do sedã vendido no Brasil. Ou seja: motor 1.8 de ciclo Atkinson que rende 98 cv e 14,5 mkgf e conjunto elétrico com, respectivamente, 72 cv e 16,6 mkgf.

No Corolla híbrido oferecido no mercado brasileiro há dois motores elétricos. No Corolla Cross, haverá apenas um.

O SUV terá freios a disco nas quatro rodas e poderá vir com rodas de liga leve de 17 ou 18 polegadas. A suspensão é independente do tipo McPherson na dianteira e com barra de torção na traseira. O sedã, por sua vez, utiliza conjunto independente nos dois eixos.

Apesar do nome, o visual do Corolla Cross é bem diferente do estilo do três volumes. O SUV se parece bastante com o “irmão” RAV4. As linhas, mais generalistas, não são tão esportivas quando as do “irmão”.

O desenho, aliás, aposta em soluções mais arredondadas, especialmente nas laterais. As caixas de roda, por exemplo, têm estilo de “bolha”.

A grade dianteira, grande e pronunciada, é o único elemento que lembra o RAV4. Os faróis, grandes e afilados, invadem as laterais da carroceria.

O “cross” do sobrenome fica limitado a detalhes para deixar o estilo mais “parrudo”. É o caso dos plásticos preto nas molduras das caixas de roda e para-choque, que lembram antigos carros aventureiros.

Por dentro, o novo modelo é bastante parecido com o Corolla. Painel de instrumentos, volante e console são iguais aos do sedã feito também em Indaiatuba (SP). O carro revelado pela Toyota deve ser da versão de topo, pois tem o mesmo painel virtual, o ar-condicionado digital e o acabamento de couro da configuração Altis do sedã.

A empresa não divulgou muitos detalhes, mas pelas imagens dá para ver que o Corolla Cross também poderá ter o pacote Toyota Safety Sense. Isso inclui alerta de saída involuntária de faixa, mas sem correção automática de volante, controle de velocidade de cruzeiro adaptativo (ACC), frenagem e ajuste do facho do farol alto automáticos e faróis de LEDs, entre outros itens voltados à segurança.

SUV COMPACTO

Em março, a Toyota fez os primeiros registros de seu novo SUV compacto no INPI, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial Trata-se do Raize, modelo derivado do Rocky, da Daihatsu, marca controlada pela fabricante japonesa. O novo carro deverá vir ao Brasil em 2021 para finalmente colocar a marca no segmento de SUVs compactos.

As imagens registradas no INPI revelam o formato do para-choque dianteiro e do farol. O modelo nacional deverá ser ligeiramente maior que o Raize japonês. Mas as patentes entregam que a dianteira será igual à do SUV mostrado no Japão. O farol terá luzes de LEDs.

O jipinho foi apresentado no Japão com motor 1.0 turbo de 98 cv e câmbio CVT. Por aqui, deverá ter motores mais potentes, vindos do Corolla.

Estamos falando do 2.0 de 177 cv e, provavelmente, o conjunto híbrido com motor 1.8 a combustão e outro elétrico. A transmissão deverá ser a mesma CVT do sedã Corolla vendido no Brasil. O SUV japonês tem outro CVT com engrenagens, semelhante ao do Lexus UX. A plataforma é uma derivação da TNGA utilizada pelos Toyota mais recentes.

O jipinho japonês tem apenas 3,99 metros de comprimento e 2,52 de distância entre os eixos. Essas medidas poderão ser diferentes no carro brasileiro, por meio de um arranjo parecido com o que a Volkswagen fez com o T-Cross. O modelo nacional é maior que o europeu, ainda que mantenha desenho praticamente igual.

O Daihatsu Raize é mais simples que o Toyota C-HR vendido na Europa. A maior diferença está no desenho, bem mais generalista. A marca, aliás, chegou a avaliar a venda do C-HR no Brasil, mas o carro nunca foi importado e teve a produção no País descartada pela empresa.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima