Almanaque+

Jardins internos além da estética

Ter um cantinho verde valoriza o imóvel, passa a impressão de cuidado, une a família e reforça a saúde mental

Passar quatro meses dentro de casa fez muita gente repensar a relação que têm com o ambiente onde vive. e o quanto investir no seu lar é, na verdade, melhorar a qualidade de vida. 

Entre móveis e aparelhos eletrônicos, o que se mostrou como um dos maiores desejos são as plantas, já que um pouquinho de verde é sempre legal, mas o indicado antes de começar a colocar vasos dentro de casa é consultar um especialista no assunto.

Conforme o paisagista Fredy Rempel, o paisagismo não apenas trabalha com plantas, mas com piscinas, pisantes, áreas diferentes, pergolados, por isso precisa entender de áreas específicas da arquitetura, biologia, botânica e de solo para encontrar soluções para áreas internas e externas do imóvel. “O paisagista é uma ligação entre o cliente, o arquiteto e a construtora. Através de pequenos e grandes detalhes, ele consegue deixar a casa ainda mais bonita e valorizada”, explica. Estima-se que o trabalho de um paisagista acrescenta de 20%, 30% a mais de valor na casa.

Além disso, hoje, ter um jardim em casa é apostar em um passatempo de qualidade, que melhora principalmente a saúde mental. “As pessoas colocam a mão na terra, as crianças se divertem, a família se reúne para cuidar e aproveitar aquele espaço”, avalia Fredy. 

De plantas ornamentais a árvores nativas e frutíferas, o paisagismo abrange um imenso leque de possibilidades, de acordo com o espaço, gosto e disponibilidade de investimento.

Urban jungle
Nessa época da pandemia, quando as pessoas estão sentindo a falta que faz um canto verde e o quanto isso é necessário, Fredy diz que, para ambientes internos, há alguns estilos de jardim, como urban jungle, que coloca muito tropical dentro de casa. “É possível colocar, em um cantinho, folhagens de todos os tamanhos, fazendo grandes volumes, deixando o ambiente bem verde”, explica. 

Neste caso, a pessoa terá que ter alguns cuidados além do estético, como chegar em casa e regar as plantas, ver se ela está saudável. “As pessoas estão conectadas com o que está dentro de casa, por isso ter um jardim modifica um pouco a rotina, mas de uma forma boa”, acredita o paisagista.

Espécie certa para cada ambiente
Além das plantas, ele também indica alguns artefatos que podem dar uma cara nova ao ambiente, como estátuas de cimento e móveis rústicos, mas destaca que antes de sair comprando coisas para criar jardins em áreas internas é importante entender onde bate o sol, se o local pega ou não iluminação, se é necessário ligar ou não o ar-condicionado, se tem sol direto, se é um lugar muito úmido, entre outros fatores, para depois escolher o tipo de planta adequada para aquele local. 

“Quando você vai comprar um plantinha, precisa levar esses aspectos em consideração. Se ela vai ficar na sala, por exemplo, e lá não tem luz, é preciso que suporte ambientes escuros. Ou a planta vai ficar na sacada e lá bate sol o dia todo, então precisa ser uma espécie que goste bastante de sol”, indica.

Esse estudo prévio evita que as plantas morram. “Muitas gente diz que não sabe cuidar de vasos e jardins, mas o problema não são os cuidados, e sim a plantinha que está no lugar errado”, comenta.

Suculentas para iniciantes
Para quem nunca cuidou de plantas e está com vontade de se aventurar nesse universo, Fredy diz que as espécies mais indicadas para começar são as suculentas. “Elas são fofinhas, são maravilhosas, super fáceis de cuidar. Existe suculentas de sol e sombra, com dificuldade de cuidados maior ou menor. A grosso modo, as suculentas são plantinhas que retém muito líquido, então as folhas quase não secam e as suas flores têm grande durabilidade, por isso são as mais queridinhas para quem tem medo de errar”, diz.

Já a contra-indicação para os iniciantes são as flores de estação. “As vezes compramos na época errada e nos frustramos. É preciso prestar atenção nesses detalhes”.

Jardins e hortas verticais
Jardim e hortas verticais são soluções práticas para quem mora em espaços pequenos, como apartamentos, ou querem um jardim dentro de casa porque otimizam o espaço e facilitam o processo. “Você não precisa ter um vaso grande dominando uma área da sala. É possível ter várias plantinhas em uma parede só. Cabem várias famílias, várias cores e texturas em um metro quadrado, por exemplo”, avalia. 

Para Fredy, ter um painel vertical permite que você tenha plantas dentro de casa, o que simboliza um cuidado especial com o ambiente, mantendo o verde e as cores.

O especialista diz que, apesar de estarmos mais familiarizados com aquelas paredes verdes que aparecem em reportagens de paisagismo, com sistema de irrigação própria comandado por bluetooth, o que exige um investimento alto, dá pra fazer jardim vertical a partir de R$ 100. 

Plantas no banheiro
Conforme o paisagista, não há plantas que suportem ambiente totalmente sem iluminação, então as espécies mais indicadas para lavabos e banheiros com iluminação baixa são as zamioculcas, as variações de Espada de São Jorge, o Lírio da Paz e o Antúrio. “Essas são as plantinhas mais tradicionais para esse tipo de ambiente. Mas é importante que tenha ao menos um pouco de iluminação. Quando a gente tem um lavabo no meio da casa, só pra recepcionar as pessoas, é legal colocar o vasinho só no tempo que em que as visitas estão na casa pra deixar bonitinho, se esse for o seu gosto. Mas durante a semana é importante colocá-lo em um lugar iluminado para que ele viva”, diz.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima