Almanaque+

Novo Ford Bronco virá ao Brasil

Por Diego Ortiz

A Ford acaba de lançar o novo Bronco. O SUV, que a princípio era tido como um “fun car” para os Estados Unidos, foi se revelando como um produto global com uma missão muito importante: brigar com o Jeep Compass pela liderança de vendas entre os utilitários médios pelo mundo. Inclusive no Brasil.

O Ford será feito no México e por isso desembarcará no Brasil no segundo semestre de 2021 sem pagar taxa de importação. Ou seja, poderá ser vendido pelos cerca de R$ 120 mil do SUV da Jeep por aqui. Isso promete uma verdadeira briga na lama.

Como perdeu a disputa pelos compactos desde que o EcoSport mudou pouco e novos rivais chegaram com tudo (Jeep Renegade, Honda HR-V, VW, T-Cross, etc.), a Ford agora aposta tudo no Bronco. E o cacife do modelo é alto.

O Bronco usa a plataforma encurtada do Escape (SUV maior que o Eco e que também virá ao Brasil) e tem motor 1.5 EcoBoost turbo, de três cilindros, 184 cv e 26,1 mkgf. O câmbio é automático de oito marchas.

Apenas com esse trem de força de base a vantagem é grande em relação ao Compass. Para as versões de topo, que vão brigar com o Jeep a diesel (motor de 170 cv e 35,7 mkgf), há o EcoBoost 2.0 de 248 cv e 37,8 mkgf. A suspensão é independente nas quatro rodas e a tração, 4×4. Há ainda 22,4 cm de altura livre do solo e capacidade de transpor alagados de até 59,9 cm.

Na parte visual, o modelo preserva a identidade do primeiro Bronco (produzido de 1966 a 1996), mas com toques claramente modernos. É o caso dos faróis redondos de LEDs e da grade com o nome do carro.

Por dentro há itens que remetem à vida na natureza. Como um singelo abridor de garrafas fixado na carroceria, além de bolsos com zíper atrás dos bancos. A central multimídia com sistema Sync3 tem tela de 8 polegadas sensível ao toque.

Além da versão Sport, o Bronco terá uma configuração com teto e portas removíveis, para disputar mercado com o Jeep Wrangler. Nesta, os ângulos de entrada e saída são respectivamente 29° e 37,2°. Mais parruda, essa opção pode atravessar trechos alagados de até 851 mm.

Entre as características do modelo há vários componentes de grife voltados a aventuras off-road mais “pesadas”. É o caso dos diferenciais Spicer Performa-TRAK, dos eixos Dana 44 e dos amortecedores da Bilstein. O motor da opção de topo é o V6 2.7 EcoBoost com 315 cv e 55 mkgf e o câmbio pode ser automático de dez ou manual de sete velocidades. A tração tem duas opções de reduzida.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima