Almanaque+

Cuidado, nem tudo é o que parece!

Na outra semana, propus um desafio para que palavras e expressões em inglês que usamos no nosso dia a dia fossem analisadas. Como foi o resultado? Aposto que vocês se surpreenderam com a quantidade de palavras estrangeiras que estão inseridas em nossos diálogos diários!

O fato é que usamos muitas expressões da língua inglesa no português. Essas palavras já estão tão inseridas no nosso discurso que as pronunciamos com naturalidade. Mas será que, se usarmos essas palavras em nossa estadia num país estrangeiro, os falantes nativos nos entenderão?

Bem, nem sempre. Precisamos ficar atentos às palavras que “importamos” de outros idiomas, pois, muitas vezes, em sua língua de origem, elas não têm o mesmo significado que as atribuímos no português. Vamos ver alguns exemplos?

Shopping: em português, usamos para nomear o estabelecimento, agrupamento de várias lojas, como o que temos em construção aqui em Pato Branco. Para convidar um amigo para ir até lá, nós normalmente dizemos:

“Vamos ao shopping?”

Shopping: em inglês, significa “fazer compras”. Para chamar um amigo para ir às compras, nós dizemos:

“Let´s go shopping?”

A curiosidade é que você não precisa ir até o estabelecimento “shopping” para fazer compras, podemos comprar em muitos lugares diferentes, lojas no centro, lojas de departamento etc.

Okay. Mas, como faço para convidar alguém para ir ao shopping, ou perguntar onde posso encontrar um nas redondezas? Nesses casos, podemos usar:

“Let´s go to the mall/ shopping mall!”

“Is there a mall nearby?”

Isso porque, em inglês, o estabelecimento “shopping” é chamado de mall/ shopping mall/ shopping center/ plaza (em alguns casos). Portanto, se você precisar de informação e perguntar “Where´s the shopping?”, o nativo provavelmente não entenderá.

Um outro exemplo interessante, é o caso da palavra “ chip” que, em português, usamos para nomear o “cartão SIM” do celular.

“Quero trocar o meu chip para a operadora tal”, nós dizemos. Em inglês, usamos a palavra “chip” para nos referirmos à “salgadinho”, por exemplo, “potato chips”.

Se você chegar num país falante de língua inglesa e desejar comprar um “chip” para o seu telefone celular, procure por um “SIM card”.

Como os citados, temos muitos outros exemplos. Por isso, vale reforçar que é importante aprender um idioma sem subestimá-lo, achando que vai se dar bem mandando um “embromation”. Às vezes, encontraremos pessoas dispostas a nos ajudar, conexão de internet e outras facilidades que podem nos tirar de uma saia justa, mas isso não é regra. Então, aprenda pelo menos o básico do idioma do país que você pretender visitar, e então, se aquele não for o seu dia de sorte e você não conseguir conectar o tradutor, você conseguirá remediar a situação. Acompanhe a nossa coluna aqui, todos os sábados, e fique por dentro com as nossas dicas!

*Angélica Soletti: formada em Letras Português e Inglês pela UTFPR e ESL pelo Rassias Center- Dartmouth College. Atua como professora de Língua Inglesa. Contato: www.textogramma.com | Instagram: @Textogramma

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima