Política ambiental do Brasil já gera consequências comerciais, diz ex-embaixador

O ex-embaixador Rubens Barbosa disse nesta quinta-feira, 12, que as exportações brasileiras já começaram a sentir as consequências da oposição da comunidade internacional à política ambiental do País.
Ao defender a necessidade de ajustes na política ambiental, inclusive na atuação do Conselho Nacional da Amazônia, Barbosa observou que articulações na Europa estão em curso para levantar boicotes contra produtos originados de áreas de desmatamento.
Ao mesmo tempo, a vitória de Joe Biden na eleição nos Estados Unidos deve reforçar esse movimento ao dar maior ênfase à agenda ambiental na política econômica, considerando-se que a ala progressista do Partido Democrata deverá ter participação no governo americano.
Ex-embaixador do Brasil em Londres e Washington, Barbosa lembrou da ameaça de boicotes a produtos brasileiros por supermercados do Reino Unido, os quais o governo britânico não tem ingerência.
Conforme observou o embaixador, não cabe recursos na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra a restrição, a qual classificou como “firme” contra política ambiental do Brasil.
“A questão ambiental virou um tema global”, frisou Barbosa durante participação no Enaex, congresso promovido pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB).
Barbosa destacou ainda em sua palestra que Biden deve ser unir a europeus na criação de um fundo internacional de US$ 20 bilhões em apoio a florestas tropicais. “Claro que haverá condições e vai caber ao Brasil, dentro de sua soberania, se vai querer participar ou não deste esforço que virá dos Estados Unidos junto com a Europa”, afirmou o embaixador.