Almanaque+

Se liga que chegou a temporada de pinhão!

Parece mentira, mas não é! Na última quinta-feira, 1º de abril (e dia da mentira, por isso a piadinha infame), o Instituto Água e Terra (IAT) liberou a colheita e venda de pinhão no Paraná. Isso porque, para preservar nossas araucárias, símbolo do estado e que está em extinção, o período das vendas são controlados pelo Estado, protegendo a reprodução dessa espécie que é o orgulho da nossa terra.

Contudo, é preciso ficar atento: o consumo do pinhão verde, sem maturação, pode causar problemas de saúde. As pinhas imaturas apresentam casca esbranquiçada e alto teor de umidade, o que favorece a presença de fungos, podendo o alimento se tornar até tóxico para o consumo humano, causando má digestão, náuseas e até episódios de constipação intestinal.

O indicado é que os produtores colham somente as sementes que já caíram da árvore. Isso porque a semente da araucária se forma dentro de uma pinha fechada, que com o tempo vai abrindo até liberar o pinhão, o qual precisa de quatro anos para completar o seu amadurecimento. As pinhas maduras desprendem dos galhos geralmente entre os meses de abril a agosto, e quando arrebentam esparramam as sementes do seu interior.

É por isso que a estratégia de colher apenas pinhão do chão também ajuda a aumentar o número de árvores. “Quando o pinhão cai ao chão, é uma oportunidade para animais, como a cutia, ajudarem a semear em outros lugares, garantindo a reprodução da araucária”, explicou diretor-presidente do IAT, Everton de Souza. 

Essa cadeia, de recolher apenas o pinhão que já está maduro, no chão, é o que torna a cadeia do consumo sustentável.

Versatilidade saudável

Além de ser uma delícia cozido, na chapa ou em receitas inusitadas, o pinhão é uma ótima fonte de energia. Com baixo teor de gordura e sódio e 175 calorias em cada 100 gramas, ele possui importantes nutrientes para o bom funcionamento do organismo, como fibras, proteínas, ômega 6 e 9  e minerais essenciais, entre eles o ferro, potássio, cálcio, magnésio, zinco, além de vitamina C. 

Por isso, entre os benefícios para o organismo estão a proteção do sistema cardiovascular, baixo índice glicêmico (opção saudável para quem tem diabetes), auxilia no raciocínio e na memória, regula o intestino, faz bem para os olhos e ajuda a controlar a anemia por deficiência de ferro.

Porém, na hora de colocar a comida no prato, pouca gente se atenta aos seus benefícios: o sabor é muito mais importante. E o pinhão se faz um ingrediente versátil, presente nos mais diversos nichos gastronômicos. 

Cerveja

Um exemplo é que o pinhão está na receita de uma das cervejas mais esperadas da temporada. Pedro Reis, um dos responsáveis pela Cervejaria Insana, que fica em Palmas-PR, fala que escolheu a semente da araucária porque esse é um símbolo do Paraná. “Mas o principal motivo é que gostaríamos de divulgar o período safra do pinhão. Pouco se é cobrado pelo nosso sistema ambiental, mas ele não pode ser colhido antes da liberação. O período de renovação do pinheiro deve ser respeitado, quando várias espécies se alimentam do pinhão. Isso é o que a gente gostaria de divulgar, que existe essa lei e que a preservação deve ser respeitada, auxiliada e incentivada”, diz.

Pedro conta que todo o pinhão utilizado para a fabricação da cerveja é proveniente de projetos de preservação ambiental, com rastreabilidade e colhidos da maneira correta. “A cerveja de pinhão, acredito, é muito esperada porque se reconhece nela um símbolo do nosso estado”, avalia. Ano passado, pela escassez, a Insana Pinhão não circulou oficialmente, mas esse ano ela sai, garante.

Hambúrguer

O hambúrguer, queridinho da maioria para fechar o dia com prazer, também ganha um charme quando o pinhão é incluído na sua receita. “O pinhão é muito presente na mesa dos paranaenses. A época de consumo de pinhão traz muitas memórias para a gente: o vento na cara, a música, o fogo e todos os elementos que se relacionam com isso. Então escolhemos o pinhão por ser algo que nos representa e ao mesmo tempo é muito saboroso”, conta Diego Guerro, um dos responsáveis pelo Grimpa Burguer Bar, em Pato Branco. 

Com uma proposta puxada para o regionalismo, o restaurante inclui em seu cardápio um hambúrguer com farofa e pão de pinhão a partir da próxima sexta-feira (9). Para o lançamento do “Gralha”, Guerro, que é músico, programou uma live show com Rafael Puerta para a próxima terça-feira (6), às 21h, transmitido pela conta @grimpaburguerbar no Instagram. “Gostaríamos que fosse um evento presencial, mas infelizmente ainda não dá”, lamenta.

Que outro ingrediente se não o pinhão seria capaz de nos proporcionar tantas coisas boas, não é mesmo?

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima