Suporte emocional oferecido pela Atlas Eletrodomésticos aos colaboradores continuará mesmo depois da pandemia

Para assegurar a saúde emocional dos colaboradores, a Atlas Eletrodomésticos, dona das marcas Atlas e Dako, adotou uma medida para apoiar os funcionários que entraram em modalidade de trabalho home office durante a pandemia. O Projeto Acolher ofereceu suporte emocional aos colaboradores que estão exercendo suas funções por meio do trabalho remoto.

De acordo com a área de Recursos Humanos da empresa, o bem-estar deste grupo foi uma das preocupações desde o início da pandemia. “Com um mês dos times em casa, percebemos que o momento estava gerando ansiedade, incerteza e notamos ainda que o ambiente doméstico provocou uma dificuldade entre os colaboradores na tentativa de separação da vida profissional da vida pessoal”, relatou Celso Palagi, head de RH da empresa.

Para atender aos colaboradores, a Atlas contratou a empresa Fábrica de Aprendizes, especializada em desenvolvimento humano, que fornece o serviço de acolhimento psicológico. “Os colaboradores não são cobrados pelo acompanhamento psicológico, é um benefício que oferecemos”, explicou Palagi. “Agora, cerca de 80% dos colaboradores que acessaram o serviço ao longo dos últimos meses têm mantido este tratamento e querem continuar com ele”, acrescentou.

“Os benefícios à saúde mental dos nossos colaboradores foram tantos que manteremos o serviço mesmo depois da pandemia”, afirmou Márcio Veiga, CEO da Atlas. “Esta iniciativa permitiu não só uma ajuda imediata, como promoveu uma mudança no comportamento dos funcionários que passaram a entender que a terapia pode trazer benefícios em longo prazo”, completou Palagi.

“Nosso objetivo é sermos acolhedores. Mesmo diante das adversidades, estamos juntos com os nossos funcionários, afinal sem as pessoas, as empresas não funcionariam”, concluiu Veiga.

Por se preocupar com a saúde mental dos colaboradores, o Projeto Acolher recebeu o prêmio Ser Humano, reconhecimento da Sociedade Brasileira de Recursos Humanos do Paraná (ABRH-PR). A premiação aconteceu no mês de dezembro. (Assessoria)

Celso Palagi é head de RH da Atlas

Como melhorar a saúde mental no home office
Uma pesquisa do Centro de Inovação da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV-EAESP) mostrou que, de 464 entrevistados, 56% encontraram dificuldade moderada ou muita dificuldade em equilibrar as atividades profissionais e pessoais no home office durante a pandemia. Neste período, é preciso reconhecer quais dificuldades de fato estão presentes na sua realidade. Identificar os pontos satisfatórios no dia a dia possibilita focar nas partes que precisam de maior atenção.

Se a sua empresa não oferece suporte, como a Atlas, veja como você pode melhorar a sua saúde mental no home office, segundo recomendações da Fiocruz:

  • Reconhecer e acolher seus receios e medos, procurando pessoas de confiança para conversar;
  • Investir em ações que auxiliem na redução do nível de estresse, como meditação, leitura, exercícios de respiração;
  • Investir e estimular ações compartilhadas de cuidado, como solidariedade, cuidado familiar e comunitário;
  • Reenquadrar os planos e estratégias de vida, de forma a seguir produzindo planos;
  • Manter ativa a rede socioafetiva, estabelecendo contato, mesmo que virtual, com familiares, amigos e colegas;
  • Evitar o uso de tabaco, álcool ou outras drogas para lidar com as emoções;
  • Buscar um(a) profissional de saúde quando as estratégias utilizadas não estiverem sendo suficientes para sua estabilização emocional;
  • Buscar fontes confiáveis de informação.