Almanaque+

Tudo novo, mas com a mesma tradição de sempre

Banda de rock mais querida do Sudoeste, Tiregrito apresenta nova identidade visual para o lançamento de três singles inéditos 

Tem novidade com sotaque do sudoeste no mundo do rock. Sempre carregando o peso de suas raízes — e, por isso, arrastando um fã-clube por onde passa –, a banda Tiregrito aproveitou a pausa da pandemia para produzir material novo.   

Mais maduros, e impossibilitados de abrir agenda de shows, eles iniciaram a quarentena com uma live que segurou uma audiência incrível, depois ainda gerou milhares de visualizações. Então decidiram que era hora de lançar material novo.

Com Rafael Henrique Barzotto no violão e vocal, Marco Antônio Tesser Pereira na guitarra e banjo, Rodrigo André Tartari no contrabaixo, Vinícius Teixeira Urbano no acordeom e Jean Carlos Paludo na bateria, a Tiregrito entrou no Nico´s Studio, em Curitiba, e com a produção de Amadeus De Marchi Assunção gravou três novas canções, que serão lançadas ao longo do segundo semestre de 2020. 

“Como as músicas tem três personalidades bem diferentes, optamos por fazer o lançamento das três separadas. A primeira música a gente vai lançar na primeira semana de setembro, e as outras em intervalos de tempo que a gente ainda vai definir, até o final do ano”, contou Barzotto.

Identidade visual

Para marcar essa nova fase da banda, eles lançaram na última sexta-feira (7) uma nova identidade visual, que vai acompanhar os três próximos lançamentos.

Os responsáveis pela nova marca são Maicon Portes Gomes e Marcelo Demartini, que foram buscar nos arquivos fotográfico da Revolta dos Posseiros, fato histórico importantíssimo para nossa região, e uma das principais inspirações da Tiregrito — rendeu, por exemplo, a música “Jardim das Araucárias” — elementos para esse novo visual.

Cada um dos três singles que serão lançados no decorrer de 2020 também terá uma capa diferente. 

Mesmo mais maduros e com estilos de vida bem diferente de quando começaram a banda e, por isso, com novas influências, motivos e estímulos para compor, a semelhança com das músicas novas com as antigas canções da Tiregrito segue sendo a tradição regional, de contar as histórias do Sudoeste para todos que se propõe a ouvir e se divertir.   

10 anos de banda

Em 2020, a Tiregrito completou uma década desde que se reuniu para o primeiro ensaio. “A gente já havia programado entrar em estúdio, no ano passado, para produzir material novo para celebrar os 10 anos de banda. No entanto, a gente foi pego de ‘calça curta’ com essa história da pandemia, onde a gente não pode mais fazer shows”, explica o vocalista.

O último show da banda foi em março deste ano, e de lá pra cá, assim como outros músicos, a Tiregrito não pode mais tocar.

Como todo o pessoal que trabalha com música e entretenimento, os cinco precisaram se virar do avesso e tirar ideias da cartola pra poder pagar as contas. “A gente sempre tratou a banda como uma empresa”, explica Barzotto. 

Uma dessas ideias, para ajudar a custear o lançamento das músicas novas e produção de conteúdos audiovisuais, foi fazer uma vaquinha on-line para receber uma força de todo mundo que curte o trabalho da Tiregrito. Quem contribuir na vaquinha, independente do valor, tem acesso à lista dos Melhores Amigos no Instagram, e fica sabendo com antecedência das novidades da banda. Por exemplo: as pessoas que contribuíram com a vakinha viram já no início da semana a nova marca que foi lançada na sexta-feira para todo mundo.

Se você gosta da banda e tem consciência da importância de apoiar os profissionais da cultura neste momento delicado, pode contribuir acessando http://vaka.me/1176093.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima