Padre Judinei Vanzeto

A Doutrina Social da Igreja é um conjunto de ensinamentos da Igreja Católica em acordo ao Magistério da Igreja Católica em consonância com as dezenoves encíclicas e de pronunciamentos papais. Versa sobre a dignidade humana e o bem comum da vida em sociedade à luz do Evangelho.

A Doutrina Social da Igreja (DSI) tem por objetivo “levar os homens a corresponderem, com o auxílio também da reflexão racional e das ciências humanas, à sua vocação de construtores responsáveis da sociedade terrena”.

A DSI, por sua vez, tem sua riqueza desde o início dos primeiros Padres da Igreja, mas se desenvolveu no século XIX por ocasião do encontro do Evangelho com a sociedade industrial moderna, com suas novas estruturas para a produção de bens de consumo, sua nova concepção da sociedade, do Estado e da autoridade, suas novas formas de trabalho e de propriedade.

A DSI aborda temas fundamentais, como, por exemplo, a pessoa humana, sua dignidade e seus direitos e suas liberdades. Traz presente a família, sua vocação e seus direitos; a inserção e a participação responsável de cada homem na vida social. A promoção da paz, o sistema econômico e a iniciativa privada, o papel do Estado, o trabalho humano, a comunidade política, o bem comum, a promoção da solidariedade, o destino universal dos bens da natureza, o cuidado com a preservação e a defesa do meio ambiente, o desenvolvimento integral de cada pessoa e também dos povos, o primado da justiça e da caridade.

A DSI não fomenta a participação do clero no campo da política, mas estimula a participação dos leigos e leigas, sobretudo, a juventude no mundo da política.

Ainda, em 2004, a DSI ganhou um Compêndio da Doutrina Social da Igreja, organizado de modo sistemático e orgânico. “A Igreja, com a sua doutrina social, não entra em questões técnicas e não institui e nem propõe sistemas ou modelos de organização social: isto não faz parte da missão que Cristo lhe confiou” (cf. Compêndio, n. 3, 7 e 68).

À luz do Evangelho e da fé e pelos efeitos perversos da injustiça, sobretudo do pecado, a Igreja não pode ficar indiferente às necessidades sociais. Compete à Igreja anunciar sempre e por toda a parte os princípios morais, mesmo referentes à ordem social, e pronunciar-se a respeito de qualquer questão humana, enquanto o exigirem os direitos fundamentais da pessoa humana ou a salvação das almas.

No tocante aosprincípios básicos, a Doutrina Social da Igreja o apresenta da seguinte maneira: a dignidade da pessoa humana, como criatura à imagem de Deus e a igual dignidade de todas as pessoas; respeito à vida humana; princípio de associação; princípio da participação; princípio da solidariedade; princípio da subsidiariedade; princípio do bem comum e o princípio da destinação universal dos bens. Além disso, os princípios da dignidade da pessoa humana, do bem comum, da subsidiariedade e o da solidariedade são valores universais na Doutrina Social da Igreja.

A Igreja Católica no Brasil, desde a década de 60 propõem durante o período da Quaresma a Campanha da Fraternidade, com uma questão social contundente. Este ano será sobre o desafio da educação no país. Com o tema: “Fraternidade e Educação” e o lema: “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26). Esta proposta é uma ação concreta da Doutrina Social da Igreja.

Jornalista, pároco da Paroquia São Roque de Coronel Vivida, gestor do Polo Unilasalle/Fapas de Coronel Vivida e diretor administrativo da Rádio Vicente Pallotti.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.