Brasil

Festa clandestina com mais de 100 pessoas é autuada na zona leste da cidade de SP

Uma festa clandestina com mais de 100 pessoas, um spa irregular e um bar foram fechados entre a sexta-feira, 2, e a madrugada deste sábado, 3, na cidade de São Paulo pelo Comitê de Blitze, formado pelo governo estadual e a Prefeitura. O Estado vive o pior momento da pandemia da covid-19, com 91,8% de ocupação na UTI, e está em fase emergencial, com restrição de atividades em todos os municípios, até 11 de abril.

A festa era realizada em um estabelecimento no distrito de Itaquera, na zona leste. Segundo informações da polícia e do Procon divulgadas pelo Estado, os frequentadores eram majoritariamente jovens e ao menos 62 não utilizavam máscaras.

O espaço não tinha ventilação, além de permitir o compartilhamento de bebidas alcoólicas e de cachimbos de narguilé. As multas previstas para os responsáveis totalizarão cerca de R$ 400 mil.

Já o spa e o bar funcionavam respectivamente na Aclimação, no centro expandido, e em Pinheiros, na zona oeste. Ambos não são considerados essenciais e não poderiam ter atendimento presencial durante a fase emergencial do Plano São Paulo.

De acordo com o comitê, a Polícia Militar fez 3.544 dispersões desde sexta, identificando 972 pontos de aglomeração em diferentes regiões do Estado. Além disso, mais de 46 mil veículos foram abordados, resultando na prisão de 69 pessoas (das quais 49 eram procuradas pela Justiça).

Denúncias de aglomerações, festas clandestinas e de funcionamento irregular de estabelecimentos considerados não essenciais podem ser feitas pelo telefone 0800 771 3541, o site www.procon.sp.gov.br e o e-mail [email protected], do Centro de Vigilância Sanitária.

São Paulo tem 2.513.178 casos e 76.552 óbitos pelo novo coronavírus confirmados. A média móvel é de 2.333 novas internações por dia, quase o triplo da registrada no início de novembro.

Para cima