Esportes

Apresentado, Benítez exalta história do São Paulo: ‘Camisa muito pesada’

Sexto reforço do São Paulo para a temporada, o argentino Martín Benítez foi apresentado nesta quarta-feira. O meio-campista, que foi oficializado na segunda-feira, recebeu a camisa 8 das mãos do ex-jogador Silas e do presidente Julio Casares e exaltou a história do clube paulista na entrevista coletiva.

“Vou usar uma camisa muito pesada, Silas usou, Kaká usou, muitos ídolos. Na Argentina, o que mais se olhava era o Rogério Ceni, como batia falta, é muito conhecido na Argentina. A coragem que ele tinha de sair do gol para bater faltas. A história do São Paulo é muito linda, é muito bom vir ao Morumbi e ver tudo que já ganharam”, afirmou o jogador.

“Se tivessem me falado que hoje estaria no São Paulo, não acreditaria. É um clube muito grande, muito conhecido na Argentina, ganhou muitos títulos, é a oportunidade para mim. Espero poder aproveitá-la”, acrescentou o atleta, a sexta contratação para 2021. Antes dele, já foram apresentados o zagueiro Miranda, o lateral-direito Orejuela, o meia William e os atacantes Bruno Rodrigues e Eder.

O argentino assinou contrato de uma temporada por empréstimo, com a opção de ser comprado pelo São Paulo ao final do acordo. Pelo contrato de um ano, o clube paulista vai pagar US$ 300 mil (cerca de R$ 1,6 milhão) ao Independiente, que detém os direitos econômicos do jogador. Ele já vem treinando há quase um mês no CT da Barra Funda e demorou para ser anunciado por conta de detalhes burocráticos. Até por esse período com os novos companheiros, o meio-campista disse já estar adaptado ao ambiente.

“Eu já conheço a ideia de jogo do Crespo, de seus auxiliares. Vai ser um jogo muito intenso, vamos ter que ficar com a bola, recuperá-la, e todos os treinamentos serão assim. No elenco tem muitos estrangeiros que falam espanhol, é muito importante na minha adaptação. Tenho um ano de contrato e espero demonstrar todo o meu futebol”, ressaltou. “Queremos ser protagonistas nos 90 minutos. Cada vez que vão passando os treinamentos, que vamos tendo mais tempo, acho que o time vai pegar mais rápido a ideia de jogo do Crespo.”

No ano passado, o São Paulo caiu na Copa Libertadores ainda na fase de grupos e não tem tido sucesso na competição da qual é tricampeão. A seca de títulos, diz Benítez, não diminui a grandeza do time tricolor, que, segundo ele, é temido pelos adversários.

“Tinha uma pressão semelhante no Independiente. Os rivais nos respeitavam muito porque o time tinha ganhado muita coisa no passado. Acredito que o rival tem medo também dos times copeiros, como Independiente e São Paulo. Esses times têm algo que não sei bem o que é, mas a camisa é muito grande. O time rival fica preocupado quando nos veem em competições internacionais.”

Para cima