Esportes

Cria de Xerém, Marinho é arma do Santos para acabar com boa fase do Fluminense

Poucos sabem, mas o atacante Marinho é mais uma cria de Xerém que não brilhou no Fluminense. Saiu cedo, cresceu e neste domingo, às 16 horas é a arma para o Santos findar com a boa fase dos cariocas e, de quebra, recolocar o Santos na briga pelas primeiras posições.

Marinho se tornou profissional pelo Fluminense, em 2008. Para muitos, porém, despontou no Internacional. Na verdade, o menino lançado por Renato Gaúcho pouco fez no Rio, e acabou negociado com o time colorado.

Recuperado de edema na coxa, o artilheiro santista, com 10 gols no Brasileirão, volta a defender o Santos no Maracanã para ajudar a equipe e tentar diminuir a diferença para os melhores.

O técnico Cuca acredita em “briga por coisa grande” no Brasileirão e derrubar a série de seis jogos sem derrotas do time de Odair Hellmann é preciso. Com Marinho, a confiança cresce bastante.

O Santos jogará com uma camisa diferenciada, em homenagem aos 80 anos de Pelé. E Marinho quer muito fazer um gol para dedicar ao Rei. O eterno camisa 10 santista vem rasgando elogios ao atacante, que pretende retribuir a confiança real.

Na quinta posição, o Santos soma os mesmos 27 pontos do São Paulo, que joga pela Copa do Brasil e, portanto, não entrará em campo no Brasileirão. Ganhar significará ultrapassagem e subida ao quarto lugar.

Além de Marinho, Lucas Veríssimo também volta, resgatando a defesa original com Luan Peres. Na lateral-direita Madson substitui Pará, lesionado. Kaio Jorge está com a seleção sub-20 e vê Lucas Braga e Marcos Leonardo brigarem pela vaga.

Para cima