Esportes

Crianças reproduzem lances famosos para celebrar os 80 anos de Pelé

Quando tinha uns 4 anos, Gustavo Khouri viu os primeiros vídeos de gols de Pelé. Quem mostrou foi o pai, o empresário Antonio Khouri, que dizia que o camisa 10 das imagens antigas era o melhor jogador da história do futebol. Intrigado, o menino perguntou: Mas não é o Messi? Ou o Cristiano Ronaldo? Se ampliadas, as perguntas do menino revelam uma dúvida interessante: o que o aniversário de 80 anos de Pelé representa para as crianças?

Evento realizado na Vila Belmiro no mês de outubro começou a responder a essa questão. Doze crianças, entre 5 e 13 anos, foram ao estádio do Santos para recriar os grandes gols da carreira de Pelé. Mais do que reproduzir dribles, movimentos e gols, meninos e meninas mostraram que a herança de Pelé é inspiração para suas próprias carreiras.

É um legado que está vivo, que vai além dos registros envelhecidos das imagens de tevê ou dos relatos dos torcedores mais velhos. “Meu pai dizia que o Pelé fazia coisas que ninguém mais fez. Hoje, comparando as imagens do Pelé e dos outros jogadores, acho que ele tem razão”, diz Gustavo, hoje aos nove anos, e que torce para o São Paulo.

Da Copa de 1970, foram refeitas pelas crianças as pinturas diante da Itália, Uruguai, Romênia e sobre a antiga Checoslováquia. Na final de 1958, o escolhido foi o gol da final, contra País de Gales. Também estão na lista um golaço de bicicleta anotado pelo Cosmos, no futebol norte-americano, e o histórico milésimo gol diante do Vasco no Maracanã, 1969. “Ele tinha grande habilidade. Mesmo depois de ter parado a carreira, o Pelé é motivo de inspiração para mim, que quero ser jogadora, e para muitas crianças. Fiquei muito feliz refazendo o que ele fez”, diz a estudante Nicole Linhares Junqueira, de 12 anos, aluna do 7º ano e torcedora do Flamengo.

Morador de São Vicente, na Baixada Santista, Júlio César Lancelloti Lourenço Rodrigues descobriu o ex-jogador depois de ver uma estátua na Vila Belmiro. “Depois que meu pai falou que era do Pelé, eu fui pesquisar no Google e descobri um jogador fantástico, com muitos gols bonitos. Fiquei impressionado. Eu me baseio muito nele”, diz o aluno do 5º ano do Ensino Fundamental. “Eu pisei no mesmo gramado que o Pelé pisou. Isso é surreal. Vou guardar esse momento no meu coração”, diz o santista.

A visita das crianças à Vila Belmiro foi organizada a partir do evento Caioba Soccer Camp, conjunto de atividades esportivas, de lazer e entretenimento para crianças e jovens. Os organizadores da homenagem foram o comentarista Caio Ribeiro, da TV Globo, e a agência Turn On The Light. “Recriar os gols com as crianças foi a maneira que encontramos de não só homenagear o Pelé por tudo que ele fez no futebol. Mas também poder passar para as crianças o que o Pelé conseguia fazer. Assim conseguimos manter viva a imagem do Pelé por mais gerações”, afirmou o ex-jogador.

MILÉSIMO GOL – Pelé tem uma ligação especial com as crianças. No dia 19 de novembro de 1969, depois de marcar o milésimo gol, ele fez um alerta. “Pelo amor de Deus, olha o Natal das crianças, olha Natal das pessoas pobres, dos velhinhos cegos. Tem tantas instituições de caridade por aí. Pelo amor de Deus, vamos pensar nessas pessoas. Não vamos pensar só em festa. Ouça o que eu estou falando. É um apelo, pelo amor de Deus”, afirmou antes de dar uma volta olímpica no estádio do Maracanã.

O discurso, no entanto, gerou polêmica. Pelé foi taxado de demagogo e criticado por não usar o momento histórico para se posicionar politicamente. Também pesou o fato de, naquele momento, participar de poucas ações efetivas sobre o tema. No livro “Pelé: Minha Vida em Imagens”, o rei do futebol conta que havia se lembrado de uma tentativa de assalto a um veículo por alguns garotos em Santos. Aquilo tinha ficado na sua cabeça. “Acho que muita gente não entendeu o que eu estava querendo dizer. Fui um pouco criticado, com pessoas me chamando de demagogo. Achavam que eu não tinha sido sincero. Mas isso não me incomodou. Não haverá futuro se você não educar os jovens”, escreveu Pelé na publicação.

No ano passado, no aniversário de 50 anos do milésimo gol, Pelé afirmou que repetiria o discurso pedindo apoio às crianças. “As coisas que ele faz pelas crianças também são motivo de admiração para mim”, diz Nicole.

Para cima