Esportes

CSA vence Operário-PR e segue na briga por vaga no G4 da Série B

Na briga para manter o sonho de chegar ao G4, A zona de acesso, o CSA venceu o Operário-PR, por 1 a 0, nesta terça-feira, pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Com 34 pontos, o time alagoano fica na parte de cima da tabela, enquanto a equipe do Paraná continua com 29, na parte de baixo da tabela e mais longe dos primeiros colocados.

O CSA começou em cima, pressionando para achar seu gol logo. Quase deu certo aos quatro minutos, quando, após cruzamento, o goleiro Thiago Braga deu rebote e a bola sobrou para o chute de Andrigo. O goleiro, porém, se recuperou e fez nova defesa, em cima da linha, evitando o gol. Aos poucos, porém, o Operário foi se soltando e arriscou num chute de Fabiano que exigiu boa defesa de Matheus Mendes.

Aos 44 minutos, o CSA perdeu Rodrigo Pimpão por expulsão. Ele deu um carrinho em Ricardo Silva e o árbitro Fábio Augusto Santos Sá Junior entendeu como entrada maldosa e mostrou o cartão vermelho direto. Por dois minutos, o árbitro foi cercado pelos jogadores da casa, protestando contra a expulsão.

No reinício do jogo, quase deu tempo para o visitante abrir o placar. Após cruzamento da esquerda, Fabiano apareceu entre os zagueiros e desviou de cabeça. O goleiro Matheus Mendes caiu e encaixou, sem dar rebote.

Na volta para o segundo tempo, o CSA voltou com recomposição na marcação, com a saída do atacante Andrigo para a entrada do volante Marquinhos. Ao contrário, o Operário fez uma troca ofensiva para aproveitar a vantagem numérica: saiu o volante Jorge Jiménez e entrou o meia-atacante Rafael Chorão.

O Operário começou melhor, com mais volume e chegando na frente. Aos 14 minutos, Tomas Bastos arriscou de longe, a bola fez uma curva e explodiu na trave direita. Para tentar equilibras as ações, o técnico Mozart Santos fez duas trocas no CSA. Entraram Pedro Júnior e Cedric, respectivamente, nos lugares de Nadson e Yago.

Aos 21 minutos, outro lance ocasional, mudou o cenário do jogo. Paulo Sérgio entrou em velocidade na área e quando iria finalizar, acabou sendo chutado por baixo por Leandro Vilela. O árbitro marcou pênalti e expulsou o zagueiro do Operário. Na cobrança, Paulo Sérgio bateu forte e rasteiro, além de ter deslocado o goleiro.

O jogo também ficou mais equilibrado, porque a partir daí, os dois times ficaram com dez atletas cada lado. O CSA passou a priorizar a marcação para garantir a vitória, enquanto o Operário tentou o empate, mas sem mostrar força deixou o campo derrotado.

O próximo jogo do CSA vai ser contra a Ponte Preta, de novo no Rei Pelé, sábado, às 16 horas, pela 24.ª rodada. Na sexta-feira, a partir das 19h15, o Operário recebe o Paraná, em um duelo estadual.

FICHA TÉCNICA

CSA 1 X 0 OPERÁRIO-PR

CSA – Matheus Mendes; Norberto, Cleberson, Luciano Castán e Diego Renan; Geovane, Iago (Cedric) e Nadson (Pedro Júnior); Rodrigo Pimpão, Paulo Sérgio (Lucas Dias) e Andrigo (Marquinhos). Técnico: Mozart Santos.

OPERÁRIO-PR – Thiago Braga; Alex Silva (Sávio), Bonfim, Ricardo Silva e Fabiano; Leandro Vilela, Jorge Giménez (Rafael Chorão) e Tomas Bastos; Diego Cardoso (Maranhão), Ricardo Bueno e Thomaz (Schumacher). Técnico: Matheus Costa.

GOL – Paulo Sérgio, pênalti, aos 23 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Fábio Augusto Santos Sá Junior (SE).

CARTÕES AMARELOS – Fabiano, Rafael Chorão e Diego Cardoso (Operário-PR).

CARTÕES VERMELHOS Rodrigo Pimpão (CSA). Leandro Vilela (Operário-PR).

RENDA E PÚBLICO – Portões fechados.

LOCAL – Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).

Para cima