Esportes

Em busca de popularidade, clubes reforçam elencos com celebridades digitais

Eles não foram contratados para fazer o gol do título, muito menos para defender um pênalti decisivo. Ainda assim, fortalecem os times sem entrar em campo. Contratados e registrados como jogadores profissionais, os influenciadores digitais viraram a aposta de algumas equipes para reforçarem os elencos. O número de seguidores em redes sociais, a popularidade com os jovens e a exposição do time fazem essas reforços encherem os dirigentes de orgulho.

Três dos principais Estaduais do País (Paulistão, Carioca e Gaúcho) têm clubes que contrataram estrelas da internet. Mas é para jogar? Não necessariamente. Nenhum deles estreou até agora, mas todos treinam com os times diariamente.

O caso mais famoso é do Resende-RJ. O time inscreveu no Campeonato Carioca o Cartolouco, apelido do jornalista Lucas Strabko. Ex-apresentador do SporTV e participante da última edição do reality show A Fazenda, da TV Record, ele tem mais de 800 mil seguidores no Instagram.

No Rio Grande do Sul, o São José conta com o jornalista Duda Garbi. Com longa experiência em televisão, ele tem quase 400 mil seguidores no Instagram e fez o clube quebrar um recorde. “Minha camisa (número 37) vendeu mais de 60 unidades em três dias. O time não vendeu nem perto disso o ano passado inteiro”, contou.

O São Bento trouxe Juninho Manella para um período de testes. Ex-jogador de futsal, ele tem mais de 6 milhões de inscritos no YouTube e mais outros 2 milhões de fãs no Instagram. Filho do técnico do time, Edson Vieira, a celebridade ainda aguarda chance e não tem contrato assinado. “O Juninho ainda apresenta algumas deficiências técnicas. Mas está treinando e evoluindo. Sou exigente”, explicou o pai e treinador.

Os casos de Cartolouco, Duda e Juninho têm em comum o plano dos clubes de adquirirem mais visibilidade. Os três estão como jogadores enquanto participam ativamente da produção de conteúdo para redes sociais. Vídeos com bastidores, imagens dos treinos e depoimentos são produzidos com o apoio de equipes de filmagem e têm gerado grande repercussão.

O Resende comemora o efeito da chegada de Cartolouco. O clube praticamente triplicou o número de seguidores enquanto cada vídeo dele alcança quase 1 milhão de visualizações no YouTube. A contratação teve o aval da comissão técnica e até do Lyon, da França, parceiro do clube.

A iniciativa veio do diretor de marketing do Resende, Marcelo Montenegro. Tudo começou com a vontade de valorizar o nome da Academia Pelé, nome do centro de treinamento do time. “A nossa ideia é rejuvenescer a marca Pelé e passar para as novas gerações”, explicou ao Estadão.

Cartolouco mostra nos vídeos situações curiosas. Trabalhou de roupeiro, gandula e buscou as pizzas servidas no jantar dos colegas após as partidas. “Quero mostrar para todos que o jogo começa pelas mãos do roupeiro, pela dedicação de uma tia que ajuda a servir o almoço no dia a dia até chegar nos jogadores. E quando tiver a oportunidade eu vou colocar bola na rede mesmo e ajudar com gols. A quem se incomodar com minha presença, sugiro conhecer mais sobre o meu trabalho e entender a minha missão aqui”, disse. Ele recebe R$ 1,2 mil por mês, mas decidiu doar o salário para um projeto de caridade.

A repercussão faz o influenciador se transformar em um reforço desejado. Orgulhoso da fama de pior time do mundo, o Íbis-PE tenta aproveitar o sucesso do Resende. A equipe nordestina vai disputar em setembro a segunda divisão Estadual e quer Cartolouco, que brincou com o convite. “Estou 100% focado no Resende. Amo jogar no clube. O elenco me recebeu bem demais. Lembrando: minha multa para sair do Resende é de R$ 1 mil. Mas minha saída não tem preço”, afirmou.

O São Bento contratou Juninho Manella ainda em dezembro. Uma das inspirações veio da iniciativa do Audax, de Osasco (SP), no ano passado. A equipe presidida pelo ex-meia Vampeta chegou a fechar com o cantor de funk MC Livinho. Dias depois, porém, o acordo foi desfeito.

Com Juninho, o São Bento contabiliza bons números. Os vídeos do clube alcançaram 7 milhões de visualizações. “As redes sociais dobraram o volume de seguidores. As crianças estão conhecendo o São Bento melhor, o que é importante para atingirmos o público jovem”, afirmou o diretor administrativo do clube, Juliano Amorim. “O Juninho tem qualidade, sabe bater na bola e atuou no futsal. Só que o processo de um amador para virar profissional é longo”, acrescentou.

ELOGIOS – Em Porto Alegre, Duda Garbi e São José se uniram graças à iniciativa do mais novo jogador. O jornalista apresentou a proposta de fazer uma série de sete episódios para mostrar os bastidores. Logo depois, o contrato de três meses foi assinado.

O reforço do time recebeu mensagens de apoio de nomes famosos, entre eles Douglas Costa e Alisson Becker. “Os jogadores sabem que faço um trabalho sério. Não estou roubando o lugar de ninguém”, disse Duda, que abriu mão de receber salário. Em uma semana, os vídeos dele bateram 135 mil visualizações mesmo sem campanhas de impulsionamento.

Para influenciadores e clubes, o futebol não se mede só por cifras ou gols. Curtidas, visualizações e engajamento nas redes sociais também são números que importam.

Para cima