Esportes

Em casa, Miguel Oliveira vence etapa de Portugal; Morbidelli é vice na MotoGP

A temporada de 2020 da MotoGP, marcada pela pandemia do novo coronavírus, foi encerrada neste domingo com a realização da etapa de Portugal, de volta ao calendário após oito anos. No circuito de Portimão, que fez sua estreia na categoria, um piloto da casa fez a festa. De ponta a ponta, Miguel Oliveira, que largou da pole position com sua moto da Tech3, venceu com folga pela segunda vez neste ano.

“Foi um fim de semana perfeito, a começar pela pole position. Sem dúvida que o objetivo era vencer. A equipe está de parabéns. Deixo a Tech3 com um sorriso e com uma vitória, algo que me deixa muito orgulhoso. A partir de agora é desfrutar, continuar trabalhando. Quero deixar o meu obrigado a todos os que estão aí em casa, que não vieram aqui me apoiar fisicamente, mas sei que todos os que puderam me deram força e acreditem que hoje (domingo) precisei dela para completar todas as voltas. O meu obrigado a todos”, afirmou o português.

A segunda colocação na corrida foi do australiano Jack Miller, da Ducati, que aproveitou os metros finais para dar o bote e ultrapassar o italiano Franco Morbidelli. Essa é a quarta vez que o piloto da Austrália subiu ao pódio em 2020 e ainda rendeu à equipe italiana o título do Mundial de Construtores da temporada.

Mesmo com a terceira posição em Portugal, Morbidelli conseguiu o resultado que lhe garantiu o vice-campeonato. Com 158 pontos, ficou apenas 13 atrás do campeão Joan Mir. Neste domingo, o espanhol não completou a prova por conta de diversos problemas com sua Suzuki.

Atrás dos três pilotos que subiram ao pódio em Portimão, completaram o Top 10: o espanhol Pol Espargaró, o japonês Takaaki Nakagami, o italiano Andrea Dovizioso, o alemão Stefan Bradl e os também espanhóis Álex Márquez e Johann Zarco.

Agora a MotoGP entra em seu período de férias, com a temporada de 2021 marcada para começar apenas em 28 de março com a etapa do Catar, prova noturna disputada no Oriente Médio. Em 2020, apenas Moto2 e Moto3 foram disputadas porque as categorias já estavam no país antes do endurecimento das normas sanitárias devido à pandemia.

Para cima