Esportes

Jornais do mundo repercutem morte de Diego Maradona: ‘Está nas mãos de Deus’

Os principais jornais do mundo repercutiram a morte do craque argentino Diego Armando Maradona. Aos 60 anos, Maradona sofreu uma parada cardiorrespiratória nesta quarta-feira. O ex-jogador se recuperava de uma cirurgia no cérebro, em sua casa, em Tigre, região metropolitana de Buenos Aires.

A morte de um dos maiores ídolos do esporte tomou conta dos portais dos grandes veículos de comunicação. O Clarín, da Argentina, disse que Maradona já é uma lenda.

O também argentino Olé, especializado em esportes, noticiou o desejo de Maradona de colocar em seu túmulo a frase “Gracias a la pelota”, um agradecimento àquela que o consagrou nos gramados, a bola.

Na Itália, onde Maradona fez grande sucesso, atuando pelo Napoli (sendo campeão italiano duas vezes, além de conquistar a Copa da Uefa), dedicou grande espaço para despedir-se do ídolo. O Corriere dello Sport escreve “O mundo está de luto pelo deus do futebol”. Já a Gazzetta dello Sport altera a grafia de “addio”, substituindo as duas últimas letras pelo número 10, que Maradona tanto usou ao longo de sua carreira.

Os espanhóis Marca, Mundo Deportivo e El País também repercutiram a morte do ídolo argentino. O primeiro foi mais emocional, com a mensagem “Hasta siempre, Diego” (livremente traduzida como “até sempre, Diego”). Os outros dois optaram por manchetes mais objetivas, assim como o inglês The Guardian, que fez matérias especiais em referência ao argentino.

O Le Monde, da França, repercutiu a decisão da Argentina de decretar três dias de luto pela morte de Maradona, enquanto o L’Équipe se refere ao craque como “deus e demônio”. “Agora está nas mãos de Deus” é a manchete do alemão Bild. E o português A Bola diz que a magia de Maradona fica para a eternidade.

Para cima