Esportes

Marco Antônio espera repetir boa no Botafogo em reencontro com o Nova Iguaçu

Marco Antônio teve a estreia dos sonhos no Botafogo. Diante do Nova Iguaçu, o meia-atacante recém chegado do Bahia, fez um gol e deu passe para outra na vitória por 2 a 1 da fase de classificação. Neste domingo, às 18 horas, no Engenhão, o jogador se reencontra com a equipe da Baixada Fluminense esperando repetir a dose, agora nas semifinais da Taça Rio.

Após terminar apenas na sétima colocação do Carioca, após uma primeira fase muito aquém do esperado e com altos e baixos, o Botafogo chega à semifinal da Taça Rio necessitando reverter a vantagem do Nova Iguaçu. E espera fazê-la já neste domingo, no Engenhão.

E, se a meta é reverter resultado, nada melhor que se lembrar de Marco Antônio. O jogador deu passe para Ênio empatar na fase de classificação, já aos 46 do segundo. E ainda deixou sua marca, aos 51, garantindo a virada.

“Tenho uma ótima lembrança da estreia contra o Nova Iguaçu, que pude marcar um gol e dar passe para outro”, afirma Março Antônio. “Mas agora é outro o campeonato, mata-mata e o Nova Iguaçu vai vir mais preparado e sabemos da dificuldade que vai ser o jogo. Porém, espero realizar novamente um grande jogo e, quem sabe, fazer gol ou contribuir com passe para a equipe sair com uma vitória.”

O Botafogo definiu como obrigação ganhar a Taça Rio para apagar o péssimo desempenho da fase de classificação. Serviria para renovar o voto de confiança no técnico Marcelo Chamusca, bastante pressionado por não “ajustar” o time para a Série B ainda.

A favor do treinador, a semana livres de treinos. Será sua segunda desde a chegada no clube. Na primeira, conseguiu ajustar o time antes da goleada sobre o rebaixado Macaé. Tentará repetir o futebol consistente contra um rival um pouco mais forte.

“Muito bom termos um tempo para treinar. O professor Chamusca conseguiu trabalhar bem quando teve tempo e esperamos repetir o desempenho e a evolução agora”, prega Marco Antônio.

Jogando fora de casa, o Nova Iguaçu não esconde que o empate será um grande resultado no Engenhão. Mas o técnico Carlos Vítor não vai apenas postar o time na defesa. Ele quer explorar os contragolpes para surpreender.

No primeiro turno a tática deu certo com vantagem no placar até os 45 do segundo tempo. Vai tentar sair novamente na frente, desta vez, porém, com maior atenção na defesa.

Para cima