Esportes

Thiago Gualhardo comanda a tranquila vitória do líder Inter sobre o Botafogo

Foto: Ricardo Duarte/internacional.com.br
Por Fábio Hecico, especial para o Estado

O Internacional está se consolidando como o time a ser batido no Brasileirão. Enquanto os rivais seguem alternando bons e maus resultados, o time gaúcho vem sobrando. Diante do Botafogo, no Rio, neste sábado, precisou de apenas 5 minutos para abrir caminho para sua quinta vitória em seis jogos. Thiago Galhardo comandou o fácil triunfo por 2 a 0 no Engenhão.

Ciente que precisaria marcar um gol logo para desarmar o esquema com três zagueiros de Paulo Autuori, o Internacional tomou as rédeas do jogo e partiu para cima dos donos da casa assim que a bola rolou.

Logo aos 3 minutos, cruzamento perigoso para Thiago Galhardo que Gatito largou nos pés de D’Alessandro. O argentino não fez o gol porque o goleiro se redimiu e espalmou para escanteio.

O bombardeio vermelho seguiu e, aos 5, Thiago Gallardo, de cabeça, abriu o marcador, aproveitando cruzamento preciso de Moisés. Desta vez Gatito nada pôde fazer.

Enquanto um substituto para o centroavante Paolo Guerrero, fora da temporada por lesão no joelho, não estreia – o Inter acaba de contratar o uruguaio Abel Hernández – Thiago Galhardo vai sendo o destaque colorado. São incríveis quatro gols nos últimos três jogos do Brasileirão – dois diante do Atlético-GO entrando apenas no segundo tempo.

Mesmo em vantagem no placar, o Inter não era incomodado pelo Botafogo, desfalcado do japonês Honda, poupado, Luiz Fernando, negociado com o Grêmio e o marfinense Salomon Kalou, legalizado, mas que só estreia diante do Coritiba na quarta-feira.

O Botafogo demorou 25 minutos para assustar o goleiro Marcelo Lomba. Com chute longe do alvo de Guilherme Santos, que ficou em dúvida se finalizava ou cruzava. Não fez nem um nem outro com precisão.

Logo na sequência, o time gaúcho aumentou. Galhardo brigou entre os marcadores e deu assistência estilosa para Boschilia ampliar

O Botafogo ainda teve chance de ir para o vestiário com prejuízo menor. Aos 42, num dos seus poucos lances de ataque, viu o “sambista” Matheus Babi diminuir. Mas o VAR anulou o gol do centroavante, que lançou seus passos de dança à toa. Rhau estava impedido na origem do lance.

Do outro lado, correu risco com Galhardo na cara de Gatito. O goleiro salvou no último lance de uma etapa para ser esquecida pelos cariocas e amplamente dominada pelos gaúchos.

Autuori precisava fazer alguma coisa no intervalo ou seriam mais 45 minutos de um time só jogando bola. Optou pela manutenção da equipe e desperdiçou 13 minutos vendo o Inter voltar explorando ótimos contragolpes. Faltou apenas capricho no toque final para a ampliação do placar.

Bruno Nazário e Luiz Otávio entraram para tentar mudar uma derrota que parecia certa. E com dois minutos em campo, o camisa 10 foi às redes. O VAR foi chamado e novamente anulou o gol. Falta anotada e cartão amarelo para Matheus Babi. O relógio marcava 15 minutos e era a chance de o Glorioso “entrar” no jogo

O segundo gol anulado parece ter desanimado o time. Mesmo assim, o Botafogo lutou, se esforçou, mas mostrou enorme falta de qualidade para chegar ao gol oponente. O “rei” dos empates (3) amargou sua primeira derrota. O Internacional limitou-se a administrar a boa vantagem adquirida na primeira etapa, mesmo assim ainda teve a melhor chance da etapa, incrivelmente desperdiçada por Marcos Guilherme debaixo do gol.

Enquanto o Botafogo buscará a reabilitação novamente jogando em casa, diante do Coritiba, o Internacional terá um confronto bastante duro pela frente: joga em São Paulo contra o Palmeiras de Vanderlei Luxemburgo. Ambos os jogos serão na quarta-feira.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 0 X 2 INTERNACIONAL

BOTAFOGO – Gatito Fernández; Marcelo Benevenuto, Kanu e Rafael Foster (Luiz Otávio); Barrandeguy, Caio Alexandre (Bruno Nazário), Guilherme Santos, Rhuan (Cícero) e Danilo Barcelos; Pedro Raul (Davi Araújo) e Matheus Babi. Técnico: Paulo Autuori

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba; Saravia, Zé Gabriel (Rodrigo Moledo), Cuesta e Moisés; Rodrigo Lindoso Edenilson, Boschilia, Patrick (Marcos Guilherme) e D’Alessandro (Musto); Thiago Gualhardo. Técnico: Eduardo Coudet.

GOLS – Thiago Galhardo aos 5 e Boschilia aos 27 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Thiago Duarte Peixoto (SP).

CARTÕES AMARELOS – Caio Alexandre, Pedro Raul e Matheus Babi (Botafogo) e D’alessandro (Internacional).

RENDA E PÚBLICO – Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL – Engenhão, no Rio.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima