Aliado de Del Nero, coronel Nunes é eleito vice da CBF na vaga de Marin

SÉRGIO RANGEL

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – O presidente da Federação Paraense de Futebol, Antonio Carlos Nunes, 77, foi eleito nesta quarta (16) para substituir José Maria Marin na vice-presidência da CBF.

Coronel da reserva da Polícia Militar do Pará, Nunes obteve 44 votos da assembleia-geral da entidade. Três dirigentes votaram contra o paraense, outros três em branco e cinco abriram mão do voto.

“Declaro eleito e empossado o coronel Antonio Carlos Nunes”, disse o presidente da Federação de Futebol do Rio, Rubens Lopes.

A eleição de Nunes foi a opção encontrada por Marco Polo Del Nero para evitar a posse do presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto, 74, em caso de renúncia.

Peixoto é o opositor de Del Nero e era o primeiro na linha sucessória.

Pelo estatuto da entidade, o vice mais velho ocupa a presidência em caso de renúncia.

No dia 3, Del Nero se licenciou do comando da CBF após ser acusado de fazer parte de um esquema de recebimento de propina na venda de direitos de competições no Brasil e no exterior.

“Sinto-me honrado em ter a confiança dessa casa. Farei o possível para contribuir com humildade e experiência neste momento. Farei do diálogo a maior ferramente neste processo. Saberei ouvir e refletir antes de qualquer decisão”, disse coronel Nunes.

Os presidentes das 27 federações estaduais e representantes dos 40 clubes das Séries A e B têm direito a voto.

A eleição da CBF foi contestada na Justiça por Peixoto e chamada de “golpe” pelo senador Romário (PSB-RJ), presidente da CPI do Futebol.

Na semana passada, presidentes de federações do Nordeste pediram também o cancelamento do pleito.

“Não votei. Fui contra o processo de convocação feito às pressas”, disse o presidente da federação da Bahia, Ednaldo Rodrigues.

Além do cartola baiano e de Peixoto, os dirigentes de Alagoas, do CRB e do Bahia se abstiveram.

Na sexta (11), a Justiça do Rio havia cancelado a eleição. No final da tarde de terça (15), porém, a CBF conseguiu cassar a liminar.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima