Anderson Silva mira volta ao topo e diz que não precisa provar nada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um dos maiores lutadores de todos os tempos do UFC, Anderson “Spider” Silva, 40, encara a luta contra o inglês Michael Bisping, 36, em fevereiro de 2016, como uma oportunidade de dar a volta por cima.

Essa será a primeira luta de “Spider” após ser suspenso por um ano depois de testar positivo em exame antidoping feito no duelo contra o americano Nick Diaz, no UFC 183, em janeiro deste ano.

“Não tenho que provar nada para absolutamente ninguém. Não sou perfeito, não sou santo, cometi a falha de ter tomado uma substância que estava contaminada, mas não colocaria em exposição a minha vida pessoal para esclarecer os fatos se eu realmente fosse culpado”, afirmou o lutador durante teleconferência organizada pelo UFC nesta terça-feira (29) para promover o combate.

De acordo com Silva, a sua equipe de defesa se atrapalhou durante o julgamento que o suspendeu pelo uso de substância ilegal.

“Meu advogado e o cara que testou os suplementos que tomei pareciam dois patetas e não conseguiram provar a verdade. Estou pagando pelo meu erro, mas pronto para lutar”, disse.

O brasileiro reinou na categoria peso-médio por nove anos, fez dez defesas de cinturão com sucesso, mas caiu duas vezes em 2013 diante do americano Chris Weidman.

Na segunda luta contra Weidman, sofreu uma grave lesão. Recuperou-se, mas foi flagrado no doping e viu o desfecho do duelo contra o americano Nick Diaz ser alterado para “sem resultado”.

Para o brasileiro, a suspensão atrapalhou a popularidade do UFC no Brasil, mas ele acredita que outros atletas podem fazer o público do país voltar a se motivar com o esporte.

Contra Bisping, “Spider” busca se fortalecer na categoria para uma nova disputa pelo título.

“Estou bastante motivado e feliz com o que está acontecendo. Os últimos dois anos e meio da minha carreira foram bastante conturbados, acho que é normal. Espero ter uma nova oportunidade de lutar pelo cinturão e trazê-lo de volta ao Brasil”, disse.

Durante a teleconferência, Bisping criticou Silva pelo caso de doping. O brasileiro respondeu, mas não devolveu as provocações. “Algumas pessoas vão continuar falando, mas eu não me importo, já passou. Algumas coisas vão ser resolvidas lá dentro [do octógono]. Não gosto de me promover como falastrão, vou lá lutar.”

TAEKWONDO

Em abril, a Confederação Brasileira de Taekwondo anunciou que Silva disputaria a seletiva da modalidade para a Olimpíada do Rio. Após o anúncio, ele chegou a ser criticado por lutadores e possíveis rivais na disputa pela vaga.

Com as reações negativas e o retorno ao UFC, o lutador descartou a possibilidade de ir à Rio-2016. Ele nega que o interesse declarado tenha sido um golpe de marketing com o objetivo de esfriar o caso de doping.

“Era um desejo que eu tinha por ser um esporte que, de certa forma, me deu a oportunidade de estar onde estou hoje, mas teve muita falação. Meu propósito era divulgar cada vez mais esse esporte lindo, que dá emprego para muita gente. Como o objetivo dos outros era diferente do meu, achei melhor deixar para lá”, disse.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima