Após sofrer com hérnias, Ronald Julião leva prata no lançamento de disco

PAULO ROBERTO CONDE, ENVIADO ESPECIAL
TORONTO, CANADÁ (FOLHAPRESS) – Ronald Julião, 30, conquistou a medalha de prata no Pan de Toronto nesta quinta-feira (23) naquilo que parece ser o tormento e o flagelo de sua vida. Os discos.
O atleta foi o segundo colocado na prova do lançamento do disco, com a marca de 64,65 m. Ficou atrás apenas do jamaicano Fedrick Dacres, que disparou 64,80 m.
“Acreditei até o fim que iria ganhar. Foi uma prata com gosto de ouro”, afirmou Julião.
O prazer que o disco lhe proporcionou nesta quinta foi inversamente proporcional à dor que causou há pouco menos de dois anos. Não o disco do atletismo, mas o do corpo.
Julião sofreu com duas hérnias de disco que o tiraram de ação por três meses 2014. “Fui presenteado com essas hérnias. Perdi competições internacionais, caí no ranking mundial e demorei para voltar a lançar acima de 60 m”, comentou.
A marca desta quinta é a 24ª do mundo nesta temporada. “É possível melhorar, ainda quero buscar o índice olímpico, que é de 66 m, e será feito”, disse o atleta, que é recordista brasileiro da prova.
Medalha de bronze no Pan de Guadalajara, há quatro anos, agora ele comemorou muito mais o feito. “Diferentemente daquela vez, agora quis dar uma volta olímpica.”
Foi sua maneira de voltar às boas com os discos.
DECATLO
O brasileiro Luiz Alberto de Araújo terminou a disputa, que reúne dez eventos do atletismo, na terceira posição, com 8.179 pontos.
O ouro ficou com o canadense Damian Warner, com 8.659 pontos, novo recorde pan-americano. A prata foi de Kurt Felix, de Granada, com 8.269 pontos.
O Brasil soma dez medalhas no atletismo: uma de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima