Após vender carro e apartamento, surfista fala em ‘alívio’ por patrocínio

ÉDER FANTONI
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Três anos depois, a surfista cearense Silvana Lima, 30, finalmente pode respirar aliviada.
A única representante do Brasil no Mundial de surfe feminino conseguiu, finalmente, um patrocínio para lhe ajudar financeiramente nas viagens da competição. Ela acertou contrato com a Oi, empresa de telefonia.
Silvana, duas vezes vice-campeã do mundo (em 2008 e 2009), não tinha um patrocinador principal desde 2012.
“Esse apoio me deixa mais aliviada, confortável e tranquila para surfar. Demorou, mas finalmente chegou um patrocinador forte. Agora, sim, estou 100%. Vou poder continuar treinando e pensar somente nos eventos”, disse Silvana à reportagem.
Antes do acerto, a cearense passou por momentos difíceis na carreira. Sofreu com dores no joelho em 2013 e, sem bons resultados, caiu para a divisão de acesso do surfe.
Para tentar voltar à elite em 2014, Silvana teve que tirar dinheiro do próprio bolso para participar das etapas da segunda divisão da modalidade. Para isso, teve até que vender um apartamento no Rio e o seu carro.
“Tudo ficou muito difícil para mim porque eu não tinha patrocinador. Tive que me desfazer de algumas coisas, como o meu apartamento, para competir na segunda divisão e tentar voltar à elite. Mas eu sempre acreditei que podia e nunca desisti”, afirmou.
Só para ficar em Fiji, por exemplo, Silvana gastou aproximadamente US$ 7 mil. Este é o evento mais caro para os surfistas.
“Vai muito dinheiro tanto para ficar lá quanto com passagem também. Então vai praticamente todo o dinheiro da premiação. Tem outros eventos que é mais tranquilo e que consigo até pagar passagem com milhagem”, disse.
Silvana, que já ganhou US$ 52,7 mil em premiação neste ano, admite que dificilmente vai brigar por título em 2015, mas vê grandes chances de se aproximar das primeira posições agora que possui um patrocinador.
A brasileira está na 12ª colocação do Mundial, com 16.850 pontos. A liderança pertence a Carissa Moore, do Havaí, que já somou 37.800 pontos após a disputa de cinco etapas.
“Com este novo apoio, eu tenho uma vantagem a mais. Esse ano ficou difícil pensar em ser campeã, mas agora vou focar nos treinos. Daqui para a frente, as coisas só vão melhorar”, disse Silvana.
A próxima etapa do Mundial feminino acontece entre os dias 27 de julho e 2 de agosto na Califórnia, Estados Unidos.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima