Bianchi morre 9 meses após acidente, e F-1 tem primeira morte desde Senna

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Nove meses após sofrer um grave acidente no GP de Suzuka, no Japão, o piloto de F-1 Jules Bianchi morreu nesta sexta-feira (17). Aos 25 anos, ele estava em coma desde que bateu seu carro contra um guindaste que estava fora da pista. A morte foi informada pela família de Bianchi em redes sociais.
Bianchi pilotava uma Marussia quando perdeu o controle do carro sob chuva e chocou-se contra o guindaste que estava na área de escape para retirar o carro de Adrian Sutil, que havia escapado da pista no mesmo local pouco antes.
“Jules lutou até o fim, como ele sempre fez, mas hoje sua batalha chegou ao fim”, diz a família. “A dor que sentimos é imensa e indescritível. Gostaríamos de agradecer a equipe médica do Centro Hospitalar Universitário de Nice (França), que cuidou dele com amor e dedicação”, acrescenta a nota.
“Além disso, gostaríamos de agradecer aos colegas, amigos, fãs e todos que demonstraram sua afeição por ele ao longo dos últimos meses, o que nos deu muita força e nos ajudou a lidar com tempos tão difíceis. Ouvir e ker tantas mensagens nos fez perceber o quanto Jules tocou os corações e mentes de tantas pessoas ao redor do mundo.”
Desde o acidente que matou o tricampeão mundial Ayrton Senna em maio de 1994, nenhum outro piloto havia morrido após acidentes em provas da F-1.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima