Bolsonaro diz que é preciso levar Brasil e Índia ‘a local de destaque’

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 27, que é preciso levar Brasil e Índia “ao local de destaque que merecem” e que os países têm muito a fazer juntos. A declaração foi dada em um discurso para 450 empresários e autoridades em um tradicional hotel da capital indiana, onde o presidente cumpre uma missão de quatro dias.

“Somos quase 20% da população mundial, estamos entre as dez maiores economias do mundo, temos muito a fazer juntos e levar Brasil e Índia no local de destaque que eles merecem”, afirmou, lembrando que os 15 acordos bilaterais assinados na viagem são um exemplo de que estão no “caminho certo”. “(Isso) me dá a certeza que nós chegaremos a um local de destaque para nossos países”. Brasil e Índia se comprometeram a atingir US$ 15 bilhões em comércio bilateral até 2022 – no ano passado, o intercâmbio comercial foi de US$ 7,5 bi.

Durante sete minutos, o presidente exaltou os laços de confiança entre os dois países, relembrou seu caminho até chegar à Presidência e disse que o “Brasil mudou”. “Estou maravilhado com minha passagem pela Índia, vocês são excepcionais. Descobri aqui muito mais coisas em comuns: lealdade, a cultura, a vontade de vencer e um povo maravilhoso”. “Temos uma cesta muito grande para quem quer investir no Brasil”.

Esse discurso foi reforçado anteriormente pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Tereza Cristina (Agricultura), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação) e Bento Albuquerque (Minas e Energia). Cada um exaltou as possibilidades de suas áreas e enumerou dados, ações e trabalhos realizados nos últimos meses.

Outro nível

Uma das falas mais aplaudidas do governo brasileiro foi da secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos da Casa Civil, Martha Seillier. Ela começou sua apresentação dizendo que “o Brasil está de volta aos trilhos”, ressaltou o comprometimento da equipe econômica com as reformas – como a da Previdência – e citou oportunidades de investimento em áreas como infraestrutura, agronegócio, energia e telecomunicações. Também informou que o Brasil pretende dobrar o número de leilões do PPI neste ano – foram 39 em 2019. “Podemos ser maiores trabalhando em parceria juntos”.

De ambos os lados, a conclusão foi de que o relacionamento Brasil-Índia sempre foi amigável, mas precisa “ir para outro nível”. “É o começo de um novo futuro para os dois países em comércio, investimentos, serviços”, disse o ministro do Comércio e Indústria da Índia, Piyush Goyal. No evento, a Associação das Câmaras de Comércio da Índia (Assocham) informou que vai abrir um escritório de representação no Brasil.

A isenção do visto para os 1,3 bilhão de indianos entrarem no Brasil também foi citada por representantes do governo local como um marco importante na relação – a medida está em estudo pelo Itamaraty sem data para aprovação.

O presidente Jair Bolsonaro está na Índia desde sexta-feira, onde assinou 15 acordos comerciais, visitou o memorial do líder pacifista Mahatma Gandhi e participou como convidado de honra do primeiro-ministro Narendra Modi.

Também se reuniu em visitas de Estado com integrantes do governo indiano no fim de semana. Nesta segunda, participou do seminário pela manhã e finaliza a agenda com uma visita ao Taj Mahal, localizado a cerca de 200 quilômetros de Nova Délhi.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima