Brasileiros colaboraram com FBI em investigações contra Del Nero

CAMILA MATTOSO E MARCEL RIZZO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Para o anúncio de mais 16 indiciados, o FBI contou com a ajuda de pelo menos mais oito dirigentes e empresários que atuaram no futebol sul-americano nas últimas décadas.

Entre os que fizeram acordo para colaborar com a Justiça dos Estados Unidos está o argentino naturalizado brasileiro José Margulies. Conhecido como José Lázaro, ele intermediava contratos da Conmebol com emissoras de TV e empresas de marketing esportivo. Seu nome aparece ainda no site da Interpol como procurado.

Outro brasileiro que colaborou com as investigações dos Estados Unidos foi Fabio Tordin, que trabalhou na Traffic, empresa de marketing de esportivo que negociava direitos de transmissão com dirigentes de federações.

Luis Bedoya, ex-presidente da federação colombiana, Alejandro Burzaco, presidente da TyC, empresa acusada de pagar propinas, Zorana Danis, quem comandava uma empresa colombiana acusada de pagar subornos, Roger Huguet, ex-diretor executivo da Imagina US, empresa de marketing esportivo, Sergio Jadue, ex-presidente da federação chilena, Jeffrey Webb, ex-presidente da Concacaf, também cooperaram com as investigações.

O presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Marco Polo Del Nero, e o ex-presidente da entidade, Ricardo Teixeira, foram indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos acusados de corrupção.

Eles estão na lista de 16 acusados que tiveram os nomes divulgados nesta quinta (3) pelas autoridades dos Estados Unidos.

É a continuação da investigação que, em maio, prendeu sete cartolas, entre eles outro ex-presidente da CBF Jose Maria Marin, que se declara inocente, mas aceitou ser extraditado aos EUA para responder o processo.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima