Brasília será processada por abdicar da Universíade, diz ministro do Esporte

PAULO ROBERTO CONDE, ENVIADO ESPECIAL
TORONTO, CANADÁ (FOLHAPRESS) – O ministro do Esporte, George Hilton, afirmou neste sábado (11) que a Fisu (Federação Internacional do Desporto Universitário) quer processar a cidade de Brasília por ter desistido de receber a edição de 2019 da Universíade.
Segundo Hilton, o valor da indenização pedido por quebra de contrato é de cerca de R$ 20 milhões. “Soube que a Fisu vai processar, já ouvi isso”, afirmou o ministro, que comanda a pasta desde janeiro.
A capital nacional recebeu em 2013 o direito de sediar o evento bienal, que reúne cerca de 10 mil atletas de 150 países. Mas abdicou em janeiro passado, sob alegação de faltar recursos. A proposta original apresentada pelo governo local era construir 22 instalações pela cidade e reformar áreas, como a Universidade de Brasília (UnB).
Após a recusa de Brasília, o Ministério do Esporte tentou procurar outras cidades interessadas em receber a Universíade. O custo total para organização da competição, disse Hilton, é de R$ 2 bilhões.
Os esforços foram em vão e o Brasil não será mais sede. Havia um prazo até o final de junho para que surgisse uma opção.
“O prazo já extinguiu, embora eu não tenha recebido comunicado oficial da Fisu. Estávamos em conversa com Goiás, mas a questão é que as cidades querem que os recursos venham do governo federal, e isso não é possível neste momento de corte de gastos”, complementou.
Neste momento, está em andamento a Universíade de Gwangju, na Coreia do Sul, e a cúpula da Fisu está para pôr em ação novo pleito para decisão da sede em 2019.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima