Cadastro Ambiental Rural segue até 5 de maio

Segundo levantamento da Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná) até a sexta-feira (19) apenas 50% das propriedades paranaenses estavam com o CAR (Cadastro Ambiental Rural) regularizado.

O prazo para preenchimento do CAR é 5 de maio, no entanto, a entidade vem alertando para algumas vantagens que os agricultores podem perder caso não executem o cadastro.

Segundo a engenheira agrônoma da Faep, Carla Beck, mesmo tendo cadastrado até o momento 50% das propriedades rurais, o Paraná está em terceiro lugar no ranking nacional.

Ela também destaca que somente em janeiro de 2016, foram realizados 6.400 cadastros no Estado. Falta pouco menos de 80 dias para o prazo final (6 de maio), e ainda temos 50% das propriedades para serem cadastradas, comenta Carla.

Arquivo AEN

Vantagens

Quem não estiver cadastrado, perderá benefícios conquistados com o novo Código Florestal, comenta a engenheira agrônoma relacionando as áreas consolidadas, a não mais obtenção de licença ambiental e acesso aos créditos rurais e linhas de financiamento já no próximo ano. Carla também comenta que os cartórios de registro de imóveis já estão solicitando para desmembramento de matrículas o cadastramento.

Segundo o MMA (Ministério do Meio Ambiente), o CAR auxilia no processo de regularização ambiental de propriedades e posses rurais. Consiste no levantamento de informações georreferenciadas do imóvel, com delimitação das APPs (Áreas de Proteção Permanente), RL (Reserva Legal), remanescentes de vegetação nativa, área rural consolidada, áreas de interesse social e de utilidade pública, com o objetivo de traçar um mapa digital a partir do qual são calculados os valores das áreas para diagnóstico ambiental.

O MMA defende que o CAR é uma ferramenta para auxiliar no planejamento do imóvel rural e na recuperação de áreas degradadas, o que segundo a pasta deve fomentar a formação de corredores ecológicos e a conservação dos demais recursos naturais, contribuindo para a melhoria da qualidade ambiental, sendo atualmente utilizado pelos governos estaduais e federal.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima