Colômbia e Estados Unidos fazem acordo para investigar zika

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse que a partir de segunda-feira chegará ao país uma delegação de médicos e cientistas dos Estados Unidos para investigar o zika vírus. O país é o segundo maior com número de infectados no mundo, perdendo apenas para o Brasil.

Santos disse que acertou junto com Barack Obama que o Centro de Controle e Prevenção de Enfermidades dos EUA e o Instituto Nacional de Saúde colombiano “compartilharão experiências para acelerar as investigações” sobre a futura vacina contra o zika. Além disso, os cientistas vão pesquisar as relações entre o vírus com a microcefalia e a síndrome de Guillain-Barré.

Inicialmente, a delegação norte-americana permanecerá durante três semanas na Colômbia para trabalhar em quatro linhas de investigação, entre elas a de melhores práticas para eliminar o mosquito Aedes aegypti, que transmite o zika, a dengue e a chikungunya.

A transferência tecnológica e o financiamento que a Colômbia receberá dos Estados Unidos para combater o zika foi acordado por Obama e Santos, durante a visita do presidente sul-americano a Washington.

Mais cedo, o Instituto Nacional de Saúde colombiano informou que 25.645 pessoas foram notificadas com o zika no país desde o início do surto, em outubro. Desse total, 3.177 são mulheres grávidas. De acordo com Santos, não houve “um caso sequer de nascidos com microcefalia em relação com o vírus”. Fonte: Associated Press.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima