Coreia do Norte condena pastor canadense à prisão perpétua

A Coreia do Norte condenou um pastor canadense nascido na Coreia do Sul acusado de subversão a trabalhos forçados na prisão pelo resto de sua vida, informou nesta quarta-feira (16) a agência estatal KCNA.

Hyeon Soo Lim trabalhava em Toronto como pastor da Igreja Presbiteriana Coreana da Luz, e está detido na Coreia do Norte desde fevereiro. De acordo com sua igreja, ele visitou o país mais de cem vezes nos últimos anos e estava ali em missão humanitária.

Segundo a KCNA, o pastor admitiu durante seu rápido julgamento “não apenas difamar perversamente a mais alta dignidade da Coreia e seu sistema, mas também possuir a intenção maldosa de derrubar a República ao ensaiar uma conspiração contra o Estado”.

O tribunal considerou o pastor culpado de “usar a religião” para conspirar contra o regime ao longo de 18 anos e de se aliar a Estados Unidos e Coreia do Sul, inimigos da Coreia do Norte, para estimular informações e propaganda contra o país. Ele também era acusado de financiar e ajudar desertores que tentavam abandonar o país.

Os promotores do caso buscavam a punição de Lim com a pena de morte, mas, segundo a KCNA, a defesa pediu leniência à Justiça, apesar da gravidade de seus crimes, “para que ele próprio pudesse testemunhar a realidade da nação do sol e seu crescimento em poder e prosperidade.”

O pastor apareceu em um vídeo divulgado pelas autoridades norte-coreanas em julho admitindo ter conspirado para derrubar o regime. Outros estrangeiros detidos no país e posteriormente libertados relatam ter sido coagidos a fazer pronunciamentos do tipo e a confessar culpa em seus julgamentos.

No ano passado, a Coreia do Norte libertou Kenneth Bae, missionário americano-sul-coreano condenado a 15 anos de prisão por crimes “contra o Estado”.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima