Corredor de Exportação tem o melhor janeiro da história

Pela primeira vez na história, o Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá ultrapassou a marca de 1 milhão de toneladas movimentadas em um mês de janeiro. No primeiro mês de 2016, o Corredor embarcou 1,34 milhão de toneladas de grãos, o que representa um crescimento de 34% em relação ao recorde anterior, alcançado em janeiro do ano passado.
Além disso, o alto volume de cargas deve garantir boas marcas de movimentação para os próximos meses. Segundo a estimativa de escoamento dos terminais que operam pelo Corredor de Exportação, mais de 5 milhões de toneladas de grãos devem ser embarcadas entre fevereiro e abril deste ano. No ano passado, por exemplo, foram 3,9 milhões de toneladas movimentadas no mesmo período.

Divulgação
O milho foi produto mais embarcado no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá

Segundo o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, o crescimento é resultado dos investimentos em aumento de produtividade e agilidade no escoamento de carga. Entramos em 2016 com quatro novos shiploaders operando e com as obras de reforma do cais em sua fase final. No que depender do campo e do porto, teremos mais um ano com excelentes resultados, afirma.

Os quatro novos carregadores de navios que estão em operação no Corredor de Exportação conseguem embarcar grãos com 33% mais agilidade do que os antigos, aumentando a velocidade de carregamento de 1,5 mil toneladas por hora para 2 mil toneladas por hora. O investimento foi de R$ 59 milhões.

Alta do milho

O milho, principal carga exportada ao longo do mês, apresentou alta de 26,2% em relação a janeiro de 2015. Neste começo de ano, foram embarcadas 737 mil toneladas do grão, enquanto no ano passado foram exportadas 583 mil toneladas do produto.

O câmbio segue impulsionando a exportação de soja e farelo mesmo fora da época de escoamento da safra. O volume movimentado de soja em grão foi cinco vezes superior do que o registrado no ano passado. Nos primeiros trinta e um dias de 2016 foram exportadas 311 mil toneladas pelo Corredor, enquanto no mesmo período do ano passado foram 61 mil toneladas do grão. Já no caso do farelo de soja, a alta foi de 43,3% no período, com 295 mil toneladas exportadas em 2016 até o momento.

Expectativa

Segundo a programação dos terminais, os próximos meses devem seguir a tendência de janeiro e continuar superando as marcas de 2015. A expectativa do produtor é que o câmbio se mantenha favorável para as exportações ao longo de todo o ano de 2016. Com isso, teremos um grande movimento de cargas chegando ao Porto de Paranaguá mesmo fora do pico da safra. Mesmo assim, estamos preparados para dar vazão a este movimento, diz o diretor-presidente da Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina), Luiz Henrique Dividino.

Entre fevereiro e abril, estão programadas mais de 1,7 milhão de toneladas de grãos por mês pelo Corredor de Exportação, totalizando cerca de 5 milhões de toneladas no período, o que significaria uma alta de 30% nos embarques de grãos para o primeiro quadrimestre do ano.

Exportações em alta

Na semana passada, o Mapa (Ministério da Agricultura e Pecuária) divulgou que o volume das exportações brasileiras do agronegócio aumentou 8,7% em janeiro deste ano, em comparação com o mesmo mês de 2015.

Conforme a SRI (Secretária de Relações Internacionais do Agronegócio), as exportações de produtos agropecuários somaram US$ 4,98 bilhões em janeiro deste ano.

Ainda de acordo com os números da SRI, as importações também diminuíram, caindo de US$ 1,24 bilhão em janeiro de 2015 para US$ 913,09 milhões no mês passado. É o menor valor importado desde 2010 para os meses de janeiro, conforme a secretaria.

Os dados divulgados pelo Mapa mostram também que o saldo comercial da balança do agronegócio foi de US$ 4,07 bilhões em janeiro deste ano. Esse resultado foi US$ 332,20 milhões inferior ao registrado no mesmo mês de 2015.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima