Cuba tenta impedir jogador de polo aquático de defender o Brasil no Pan

PAULO ROBERTO CONDE, ENVIADO ESPECIAL
TORONTO, CANADÁ (FOLHAPRESS) – O Comitê Olímpico Cubano tenta barrar a participação do jogador Yves González, da seleção brasileira de polo aquático, nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, que começam nesta semana.
A entidade enviou uma carta à organização do evento para impedi-lo de defender o Brasil, que estreia nesta terça-feira (7) no torneio masculino, contra o Canadá.
Os cubanos alegam que o jogador não estaria apto a participar da competição com as cores verde e amarela. O COB (Comitê Olímpico do Brasil) entrou em ação para mantê-lo. Uma resolução deve ser tomada ainda nesta segunda-feira (6).
Cubano de nascimento, González, 34, naturalizou-se no início de 2014 e já defendeu a equipe brasileira na Liga Mundial Masculina de Polo Aquático, encerrada há oito dias. No torneio, realizado em Bergamo (Itália), a seleção brasileira obteve a medalha de bronze, feito inédito.
Antes, ele havia jogado pela seleção de Cuba. Foi, por exemplo, medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg-1999 pela ilha caribenha. González é casado com uma brasileira e reside em São Paulo há alguns anos, onde defende o Esporte Clube Pinheiros.
Além de González, o time brasileiro masculino de polo aquático tem outros jogadores que obtiveram cidadania recentemente, como Josip Vrlic (croata), Paulo Salemi (italiano), entre outros. Todos têm liberação para atuar no Pan.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima