D’Alessandro se emociona em despedida do Inter, mas celebra ‘volta para casa’

Ídolo colorado, Andrés D’Alessandro se despediu do Internacional e de sua torcida nesta quarta-feira. O jogador de 34 anos acertou sua saída para vestir novamente, por uma temporada, a camisa do River Plate, clube do qual é torcedor declarado e onde foi revelado. A saída de Porto Alegre após sete anos e meio e o retorno à Argentina criaram um misto de emoções no meia, que chegou a ter dificuldades para falar durante a entrevista coletiva.

“Surgiu uma chance muito boa de jogar na Argentina, onde fui revelado. Por causa do River, consegui fazer uma carreira que me orgulha. Por causa do River, o Inter me buscou”, declarou. “Foi diferente, o River chegou com muita vontade de me contratar depois de 13 anos, houve essa chance de voltar. Falei com o Vittorio, para pensar bem se existisse essa chance e ela se concretizou. Agora estou saindo.”

Ao fim desta última frase, D’Alessandro caiu no choro, que deixou sua voz embargada durante todo o restante da entrevista. O meia tentou explicar a sensação da tristeza por deixar um lugar que tinha como casa, mas da alegria por retornar para o time de coração, onde foi criado e se tornou profissional há mais de 15 anos.

“Aqui (Inter) não sou só um atleta, deixei algumas coisas. É motivo de orgulho. Uma mistura de tristeza e alegria, porque volto para casa, minha família, viver de novo na Argentina, de onde saí em 2003 e dei um ‘pulo’ em 2008. Volto com três filhos, família muito maior, com um filho brasileiro, de seis meses, gaúcho, o que é motivo de orgulho. Aproveitar a família pesou muito. Voltar ao clube depois de 13 anos é uma satisfação grande”, disse.

Contratado pelo Internacional após breve passagem pelo San Lorenzo em 2008, D’Alessandro ficou sete anos e meio no clube e se tornou símbolo de uma era bastante vencedora. Com a camisa colorada, conquistou uma Libertadores, uma Copa Sul-Americana, uma Recopa Sul-Americana, uma Copa Suruga e seis Campeonatos Gaúchos. Tanto tempo por lá criou uma ligação além da profissional, o que tornou esta despedida mais difícil para o meia.

“Não é fácil. São sete anos e meio vivendo com pessoas que me ajudaram muito, que me fizeram um atleta, uma pessoa muito melhor. Um clube que me deu tudo. Tive o pensamento de que queria sair bem, que nada estragasse a minha história no clube, deixando uma história marcante. Tudo se tornou realidade, não tem comparação com nada. Uma relação com torcedores, funcionários, diretoria. Só palavras de agradecimento”, comentou.

D’Alessandro deve ter um último contato com a torcida nesta noite de quarta-feira, quando vai ao Estádio Passo D’Areia acompanhar o duelo diante do São José pelo Campeonato Gaúcho. O jogador mantém viva a esperança de voltar ao Inter e encerrar a carreira no clube depois que seu empréstimo terminar, apesar de não prometer o retorno.

“A ficha da saída ainda não caiu, talvez hoje no estádio… O vinculo com o clube continua até 2017, que vai ser quando sairei. Mas o mais importante é o clube, muitos jogadores saem. O clube e o torcedor são importantes. O torcedor é quem carrega o clube”, apontou.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima