Del Nero é convidado a depor na CPI do Futebol na próxima semana

SÉRGIO RANGEL, ENVIADO ESPECIAL

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) – Denunciado pelo FBI por fazer parte de um esquema de recebimento de propina no futebol, Marco Polo Del Nero foi convidado a depor nesta terça (8) na CPI do Futebol.

Os senadores querem questionar o presidente licenciado da CBF sobre as acusações feitas pela Justiça dos EUA.

Na noite desta quinta (3), Del Nero deixou o cargo após as denúncias. No mesmo dia, o Comitê de Ética da Fifa abriu também investigação contra o cartola.

Em agosto, a CPI quebrou os sigilos fiscal e bancário do cartola, que ganha cerca de R$ 200 mil mensais na CBF.

Antes de se licenciar do cargo, Del Nero disse na quinta que não temia ser investigado pela Fifa.

“Investigar é bom para esclarecer que nada existe contra a minha pessoa”, disse o dirigente.

Há mais de seis meses, Del Nero promete que vai colaborar com as investigações da CPI, mas fez o contrário.

Ele tentou, sem sucesso, um recurso no STF (Supremo Tribunal Federal) contra a quebra dos seus sigilos.

No mês passado, o dirigente também pediu ao STF para ficar calado durante um eventual depoimento na comissão, além de ter requerido um habeas corpus para não ser preso durante sessão da comissão. O Ministro Gilmar Mandes negou os dois pedidos

Caso não compareça ao Senado na terça, os parlamentares devem votar no dia seguinte um requerimento convocando o dirigente para depor na próxima semana.

Del Nero tomou posso em abril após ter sido homem forte por mais de dois anos da administração de José Maria Marin. O ex-governador de São Paulo está preso no exterior desde maio acusado pelo FBI de participar do mesmo esquema de recebimento de propinas.

COMPRA DE COBERTURAS

Além de questionar o cartola sobre as acusações do FBI, os senadores vão querem saber do dirigente detalhes da compra de duas coberturas no Rio no ano passado

O negócio foi revelado pela Folha de S.Paulo no dia da posse de Del Nero e é investigado pelo Ministério Público Federal, no Rio, e pela Receita Federal.

Uma das coberturas, no valor de R$ 5,2 milhões, foi adquirida pelo dirigente de uma empresa dos filhos do empresário Wagner Abrahão, parceiro comercial da CBF.

Antes, em maio do ano passado, Del Nero registrou em cartório que comprou outro dúplex, no mesmo local, por R$ 1,6 milhão. Os imóveis tem cerca de 250 metros quadrados.

À época, Del Nero negou qualquer conflito ou irregularidade na transação.

NOVO VICE

Apesar de ter se licenciado do cargo alegando que precisava de tempo para se defender das acusações, Del Nero continua atuando nos bastidores.

Ele quer mudar a linha sucessória da CBF para impedir a posse do presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto caso seja obrigado a renunciar.

Del Nero convenceu o deputado federal Marcus Vicente (PP-ES), que agora comanda a CBF, a convocar uma nova eleição para escolher o substituto de Marin, que era vice da entidade.

Pelo estatuto da entidade, o vice mais velho assume em caso de renúncia. Opositor de Del Nero, Peixoto, 74, é o primeiro na linha de sucessão.

O cartola quer eleger no pleito do dia 16 o presidente da Federação Paraense de Futebol, Antonio Carlos Nunes, 77, para o lugar de Marin, que ocupava a vice-presidência para a Região Sudeste.

Conhecido no futebol como coronel Nunes, o paraense já aceitou o convite para disputar a eleição.

A articulação é encarada como “golpe” pelo senador Romário.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima