Em debate, republicanos defendem ação mais dura contra o terror

Em novo debate realizado nesta terça-feira (15) pela rede americana de TV CNN, os pré-candidatos republicanos com maior intenção de votos defenderam uma atuação mais firme das autoridades americanas na internet para prevenir ataques terroristas.

O líder da disputa, o empresário Donald Trump, afirmou estar disposto a discutir censura -“estamos em guerra”- e disse que traria as “pessoas mais brilhantes” do vale do Silício para ajudar a localizar e impedir o planejamento de ataques e o recrutamento de pessoas por grupos como o Estado Islâmico.

O segundo colocado, senador Ted Cruz (Texas) disse que o “politicamente correto” impede a gestão do presidente democrata Barack Obama de vigiar a atuação de cidadãos em redes sociais -o que, segundo ele, possibilitou o ataque em San Bernardino, que deixou 14 mortos.

O senador Marco Rubio (Flórida) disse que o monitoramento dos cidadãos é mais importante que a imigração no combate a extremistas.

O governador Chris Christie (Nova Jersey), por sua vez, disse pretender restaurar a autoridade da NSA (agência nacional de segurança).

Na esteira dos ataques em Paris e na Califórnia, com o terrorismo assombrando os americanos, o debate, que começou às 23h45 (horário de Brasília) dedicou pelo menos a primeira hora a medidas para proteger os EUA e críticas a Obama.

‘CANDIDATO DO CAOS’

Trump voltou a defender sua proposta de barrar muçulmanos, dizendo não ser uma questão de religião, mas de segurança.

O ex-governador Jeb Bush (Flórida) atacou a proposta. “Donald é um ótimo frasista, mas ele é o candidato do caos e seria o presidente do caos.” Trump rebateu dizendo que Jeb protagoniza uma campanha “de desastre total”.

A novidade nessa reta final da corrida antes das primárias, que começam em fevereiro, é o ultraconservador Ted Cruz, que disparou para o segundo lugar nas pesquisas e chega a liderar em Iowa, segundo dois levantamentos.

Trump continua na liderança e, de novo, com folga. Na média das pesquisas contabilizada pelo site “Real Clear Politics”, ele está com 33% das intenções de voto, mais que o dobro de Cruz, que tem 16,1%.

Na sequência, vêm o senador Marco Rubio, com 12,6%, e o médico aposentado Ben Carson, com 12%. O ex-governador Jeb Bush tem 4% das intenções de voto.

Se Trump tem dado o tom da corrida, com uma sucessão de polêmicas, Cruz não fica atrás na defesa de ideias conservadoras.

Ele é contra regularizar imigrantes sem documentos nos EUA, contra o endurecimento do controle na venda de armas, contra o aborto mesmo em casos de estupro e incesto e duvida que o aquecimento global seja causado por ação humana.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima