Em jogo de rúgbi, Stade de France reabre neste sábado após atentados em Paris

Sob altíssima segurança e baixa expectativa de público, o Stade de France, o mais importante da França, reabre as suas portas neste sábado, exatos 85 dias depois dos atentados suicidas cometidos por três homens-bomba que causaram uma morte. Quarenta mil pessoas são esperados na arena de Saint-Denis (que comporta o dobro disso), na periferia de Paris, para assistir o confronto entre as equipes de rúgbi de França e Itália pelo Torneio das Seis Nações. Entre os espectadores, estará o presidente francês François Hollande.

O jogo é o primeiro evento maior no estádio desde a noite de 13 de novembro, quando o ruído dos explosivos ecoou pelas arquibancadas e chegou a espantar jogadores de França e Alemanha, que disputavam um amistoso no momento dos atentados que deixaram 130 mortos em Paris e Saint-Denis. Por causa da ameaça de novos ataques e também do estado de emergência no qual o país está mergulhado há dois meses e 23 dias, mais de mil policiais serão mobilizados para garantir a segurança da partida, além de 250 voluntários recrutados pela Federação Francesa de Rúgbi para orientar os espectadores.

Tamanha mobilização tem como objetivo identificar comportamentos suspeitos e evitar que um novo atentado, suicida ou não, possa acontecer nas imediações do estádio. O porte de mochilas e sacolas, de capacetes de moto e de objetos que possam se ser confundidos com armas ou a cinturões de explosivos foi desaconselhado pela polícia – tudo em nome da segurança.

Preocupada com a situação, a federação divulgou um comunicado pedindo para o público chegar com antecedência de duas horas ao estádio para evitar concentrações de última hora. “Por causa do nível atual de ameaça terrorista e das medidas preventivas em vigor, controles de segurança estritos dos espectadores e outras pessoas que forem ao Stade de France serão realizados”, informou a federação. “A Polícia Nacional e os responsáveis pela segurança organizarão vários pontos de filtragem nas imediações do estádio a fim de evitar filas de espera nas portas, onde serão realizados controles reforçados”.

A expectativa da FFR é de que até 56 mil ingressos sejam vendidos até o momento do jogo (12h25, no horário de Brasília). Mas esse objetivo estava longe de ser alcançado há uma semana – ao contrário do que em geral acontece na Europa, onde cada ingresso é disputado. Apenas 40 mil bilhetes haviam sido vendidos, mesmo com promoções que chegaram a 50% de desconto. Mas a explicação tem mais a ver com o fraco desempenho do time francês na Copa do Mundo de 2015, em que foi eliminado nas quartas de final pela Nova Zelândia por 62 a 13.

O presidente François Hollande, que estava no Stade de France em 13 de novembro, confirmou que estará presente neste sábado. Ele terá a oportunidade de conferir em pessoa os preparativos de segurança para o maior evento esportivo do país em 2016: a Eurocopa de futebol, que terá início em quatro meses.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima