Equipe brasileira de nado sincronizado tem pior resultado em 20 anos

ITALO NOGUEIRA, ENVIADO ESPECIAL
TORONTO, CANADÁ (FOLHAPRESS) – A delegação do nado sincronizado do Brasil teve, no Pan Americano de Toronto, o pior resultado desde os Jogos de Mar del Plata-1995. O grupo encerrou sua participação neste sábado (11) sem conquistar medalha nem na competição por equipe, nem no dueto.
As oito atletas do Brasil ficaram em quarto na disputa por equipe nesta tarde, atrás do CanadÁ (ouro), México (prata) e Estados Unidos (bronze). A diferença para o pódio foi de 2,3 pontos em 200 possíveis.
A equipe executou na rotina livre uma coreografia tendo samba como ritmo e o Rio como tema. Durante a apresentação, representaram um desfile de Carnaval, o Cristo Redentor e até passo de funk. A avaliação dos jurados deixou a equipe fora do pódio.
A apresentação, somada à rotina técnica apresentada na sexta (10), somou 163,7606 pontos. O Canadá obteve 178,1094, o México 172,5073 e os Estados Unidos 166,0351
Pela manhã, Luisa Borges, 19, e Maria Eduarda Miccuci também ficaram em quarto, fora do pódio.
É a primeira vez desde o Pan de 1999, em Winnipeg (Canadá), que o nado sincronizado sai sem uma medalha. Naquele ano, o Brasil obteve um bronze com o dueto. Tanto em Santo Domingo-03, como no Rio-07 e em Guadalajara-11 o dueto e a equipe repetiram o terceiro lugar.
O resultado ruim ocorre após a chegada da renomada técnica canadense Julie Sauvé, dona de oito medalhas olímpicas. A aposta da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) era que ela pudesse ajudar na evolução das nadadoras do país.
Contudo, o Brasil perdeu espaço no pódio para o México. A evolução das adversárias chamou a atenção. Elas ultrapassaram não só o Brasil, como também os Estados Unidos, conquistando prata tanto no dueto como na equipe.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima