Evento técnico sobre feijão e milho recebe cerca de 1,5 mil agricultores

Encerrada na sexta-feira (11), 17ª Semana Técnica de Feijão e Milho, realizada na Estação Experimental da Fundação ABC, em Ponta Grossa recebeu um público de cerca de 1,5 mil agricultores.

No evento que iniciou na terça-feira (8) apresentou as últimas novidades tecnológicas desenvolvidas nas duas culturas, como sementes geneticamente melhoradas, práticas de controle de pragas e ervas invasoras, soluções para a realização do plantio direto com qualidade e iniciativas de boas práticas capazes de contribuir com a realização de uma agricultura mais sustentável.

Tradicionais

O milho e o feijão são culturas tradicionais da agricultura familiar paranaense. Nas últimas décadas, na média, as duas atividades apresentaram boa evolução tecnológica no Estado, com aumento de produtividade e produção. No entanto, experiências da pesquisa oficial mostram que existe muito espaço para avançar, com resultados que levam ao aumento do rendimento das lavouras e, principalmente, da renda do produtor.
É com base neste diagnóstico que a Emater, com organizações parceiras, trabalha no projeto Grãos para o Centro-Sul do Estado, atendendo produtores de milho e feijão. Ação que completa 20 anos e na última safra envolveu o atendimento direto a quase duas mil famílias, em 41 municípios.

Potencial

A comparação dos dados médios de produtividade das lavouras usadas como modelo com as médias estadual e nacional pode resumir a importância do projeto e o seu potencial de influência sobre os produtores visitantes.
Na safra 2013/2014, nas unidades demonstrativas, os produtores atendidos pela Emater colheram por hectare, em média, 3,9 mil quilos de feijão, enquanto que no Estado esse índice ficou em 1,5 mil quilos e a no Brasil 1 mil quilos por hectare. Os produtores de milho colheram em suas unidades demonstrativas 12,7 mil quilos de grãos por hectare, na média. No Paraná esse número ficou em 6,1 mil quilos e no Brasil 5 mil quilos por hectare. Destacando que todo o trabalho é feito levando em conta a necessidade de preservação dos recursos naturais.

O aumento da produtividade e a melhoria da gestão dos recursos utilizados permitem aos produtores aumentar a renda da propriedade. Recurso que pode ser investido em bens que melhorem as condições de vida da família e a infraestrutura de produção ou, ainda, para implantar novas culturas, como a fruticultura ou a olericultura, capazes de dar um retorno econômico maior por área cultivada.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima