Inter perde para o Tigres e fica fora da final da Libertadores

O Internacional não conseguiu segurar a vantagem construída na primeira partida da semifinal e foi eliminado da Libertadores na noite desta quarta-feira (22) ao levar 3 a 1 do Tigres (MEX), no México, no jogo de volta. Como havia vencido por 2 a 1 no encontro da ida, o time gaúcho jogava até por um empate para avançar à final da competição sul-americana.

Mas, com péssima atuação dos seus dois laterais, William e Geferson, a equipe de Porto Alegre foi presa fácil dos mexicanos, que chegaram a abrir 2 a 0 ainda no primeiro tempo e ampliaram a vitória logo no começo da etapa final. A derrota poderia ter sido até maior se o goleiro Alisson não defendesse um pênalti cobrado pelo brasileiro e ex-colega de clube Rafael Sóbis já no segundo tempo. Nos minutos finais, Lisandro López ainda descontou para os visitantes.

Com a derrota, o Inter desperdiçou a chance de chegar à sua quarta final de Libertadores. Os gaúchos venceram em 2006 e 2010, mas perderam a final em 1980. Já o Tigres terá como rival na decisão o argentino River Plate, que superou o Guaraní-PAR na outra semifinal. A primeira partida da final será na próxima quarta-feira (29), enquanto a segunda acontece no dia 5 de agosto.

O JOGO

O primeiro tempo foi disputado em alta velocidade, com as duas equipes buscando sempre acelerar o passe para encontrar espaços nos contra-ataques. Porém, o Internacional cometeu mais erros na troca de passes e na marcação e viu os donos da casa dominarem a partida até o intervalo.

A equipe gaúcha até conseguiu conter a pressão inicial do Tigres, mas sucumbiu diante das jogadas pelos lados do campo e pelo talento do francês Gignac, que se movimentou bastante e abriu muitos espaços na defesa do Inter até anotar o seu gol. Assim como aconteceu no jogo de ida, os laterais do Inter, William e Geferson, tiveram muitas dificuldades de fazer a marcação das jogadas pelos lados do campo dos mexicanos, que abusaram dos cruzamentos na partida.

E, assim, abriram o placar. Aos 17min, após uma pressão do Tigres, houve um cruzamento da direita e o francês Gignac, sem marcação, subiu sozinho nas costas do lateral William para fazer 1 a 0. Depois do gol sofrido, o Inter procurou ter mais posse de bola, mas ainda errava muito passes e oferecia com frequência os contra-ataques ao Tigres. Com isso, o time mexicano continuou melhor na partida, mesmo recuando as suas linhas de marcação após conseguir a vantagem no placar.

E, em uma infelicidade do lateral esquerdo Geferson, os visitantes levaram o segundo gol antes do intervalo. Aos 40min, após lançamento longo do Tigres para o campo de ataque, o lateral convocado para a seleção brasileira pelo técnico Dunga foi fazer o corte e acabou chutando a bola contra a própria meta. O goleiro Alisson, que estava fora do gol, ainda tentou fazer a defesa, mas não conseguiu evitar os 2 a 0.

O Tigres continuou na etapa final com a mesma proposta do primeiro tempo: jogar em cima dos dois laterais do Inter, William e Geferson, que continuaram com muitas dificuldades nas jogadas de mano a mano diante dos jogadores do time mexicano. Desta maneira, os donos da casa construíram a vitória ainda nos primeiros minutos depois da volta dos vestiários. Antes do terceiro gol, o goleiro Alisson ainda chegou a defender um pênalti do brasileiro Rafael Sóbis e que foi cometido pelo lateral direito William em Aquino.

Na sequência, aos 11min, Damm passou pelo lateral esquerdo Geferson já dentro da grande área e cruzou para a pequena área, onde estava Arévalo Ríos, que completou de cabeça para decretar os 3 a 0. O técnico Diego Aguirre, que assistiu ao jogo das cabines, já que ainda cumpria suspensão, viu seu auxiliar Enrique Carrera colocar Eduardo Sasha e Alex nas vagas de Nilmar e Valdívia. Assim, a equipe gaúcha ganhou mais mobilidade no ataque e criou algumas chances. Na melhor delas, já aos 43min, Sasha cruzou rasteiro para Lisandro López desviar de primeira e descontar para os visitantes.

TIGRES Nahuel; Jiménez, Rivas, Juninho, e Francisco Torres; Arévalo Rios, Pizarro, Jürgen Damm (Lugo), Javier Aquino (Álvarez) e Rafael Sóbis; Gignac T.: Ricardo Ferretti

INTERNACIONAL Alisson; William (Rafael Moura), Ernando, Juan e Geferson; Rodrigo Dourado, Aránguiz, D’Alessandro, Valdívia (Alex) e Lisandro López; Nilmar (Eduardo Sasha) T.: Diego Aguirre

Estádio: Universitário, em Monterrey (México) Árbitro: Carlos Vera (Equador) Gols: Gignac, aos 17, e Geferson (contra), aos 40 min do 1º tempo; Arévalo Rios, aos 11, e Lisandro López, aos 43 min do 2º tempo Cartões amarelos: Torres (T) e Rodrigo Dourado (I)

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima