João de Lucca ‘dribla’ vigia americana para receber instruções de técnico

PAULO ROBERTO CONDE, ENVIADO ESPECIAL
TORONTO, CANADÁ (FOLHAPRESS) – O brasileiro João de Lucca deixa nesta sexta-feira (18) o Pan de Toronto com aproveitamento máximo. Na piscina, ele foi 100%.
O carioca de 25 anos foi ouro em todas as provas que disputou no centro aquático: nos 200 m livre e nos revezamentos 4 x 100 m e 4 x 200 m -todas com recorde pan-americano.
Em alta na natação nacional, De Lucca deve muito de sua evolução à ida para os Estados Unidos, onde desde 2011 defende a Universidade de Louisville. Lá, ele é treinador pelo compatriota Arthur Albiero.
Tanto De Lucca quanto Albiero estiveram presentes no Pan. Mas pouco puderam se falar. Motivo: qualquer interação maior poderia provocar um conflito de interesses.
Enquanto o carioca brilhava pela equipe brasileira, o paulista Albiero tornou-se o primeiro técnico do país a compor a comissão de uma seleção norte-americana de natação. Em Toronto, ele é assistente técnico da equipe feminina.
Para não criar caso, ambos só se comunicam no improviso.
“Pelo fato de a gente se conhecer, é treino por olhar. Ele está limitado de me dar treino. Não pode opinar. Quando treino aqui, eu só olho para ver se está bom ou não, faço leitura labial”, afirmou De Lucca.
Indagado sobre o porquê do afastamento, o nadador disse que uma união na borda da piscina não seria bem interpretada. “Tem aquela coisa do ‘american pride’ (orgulho americano, em tradução livre), de se estiver representando os EUA é apenas isso. O Arthur está fazendo o nome dele como técnico, é ótimo. É fruto do resultado dele também”, contou.
De Lucca e Albiero se conhecem há tempos, e o técnico teve papel importante na chegada do medalhista pan-americano nos EUA.
Depois de ser recusado por inúmeras universidades, Albiero lhe deu um lugar na Universidade de Louisville, onde é técnico desde 2003. “Eu não tinha tanta opção, e Louisville foi uma coisa desconhecida. Um tiro no escuro que acabou dando certo”, ressaltou De Lucca.
Ambos desenvolveram, além da relação treinador-atleta, uma amizade que impactou na própria universidade, que com os dois figurou entre as dez melhores do país no campeonato americano (NCAA).
Além disso, De Lucca foi campeão nas 100 e 200 jardas livre, o que não ocorria há mais de uma década. Agora, o nadador tem começado a transferir os bons resultados para a piscina longa, de 50 m.
O tricampeão pan-americano ficará treinando em Louisville até o dia 24, quando embarca para uma aclimatação com a seleção brasileira em Rio Maior, em Portugal. No dia 29, parte para o Mundial de Kazan, na Rússia.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima