Johnny Depp e Charlie Sheen fizeram teste para “De Volta para o Futuro”

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Na comemoração de 30 anos do lançamento do primeiro filme de “De Volta para o Futuro” (Back to the Future), um novo lançamento trouxe novidades para os fãs da cultuada trilogia.
O escritor Caseen Gaines lançou na última sexta (3), data do aniversário da estreia do primeiro filme, o livro “We Don’t Need Roads” (Plume, US$ 8,90, 288 págs.) sobre os bastidores das três produções sobre Marty McFly (Michael J. Fox) e suas viagens no tempo – o título é referência à famosa frase dita por Dr. Brown (Christopher Lloyd) a Marty McFly antes de literalmente decolar com o DeLorean.
Para escrever o livro, o autor entrevistou estrelas do elenco e a equipe de produção, como o diretor Robert Zemeckis, o produtor Bob Gale e o ator Christopher Lloyd e a atriz Lea Thompson.
Entre as diversos segredos e curiosidades, segundo a revista “The Hollywood Reporter”, está a disputa para o papel de Marty McFly: Johnny Depp, John Cusack e Charlie Sheen participaram das audições, finalmente vencidas por Eric Stoltz (de “Alguém Muito Especial”). Mais tarde ele seria substituído por Michael J. Fox por não conseguir dar o ar de comédia necessário a sua atuação.
Com a substituição de Stoltz por Fox, a atriz que interpretaria Jennifer, a namorada de McFly, também foi substituída. Melona Hardin, a primeira escolhida era alta demais para Fox e perdeu papel para Claudia Wells.
Outra: a trilogia passou perto de mudar de nome e se chamar “Spaceman From Pluto”, referência a uma revista em quadrinhos que aparece no começo do primeiro filme. O chefe da Universal Sid Sheinberg achava que “De Volta para o Futuro” era um nome confuso para o público. A mudança só não ocorreu porque o diretor Robert Zemeckis e o produtor Bob Gale bateram o pé e se recusaram a mudar.
E, mais impressionante ainda: por pouco a viagem de McFly não ficou só no primeiro filme da saga. Zemeckis não queria realizar as sequências da franquia, e só aceitou a ideia após o estúdio comunicá-lo que faria os filmes com ou sem ele.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima