Osorio defende Ganso das vaias, mas reprova comportamento do meia

RAFAEL VALENTE
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Paulo Henrique Ganso foi vaiado pelo público no Morumbi ao ser substituiu por Boschilia. Irritado, não cumprimentou o técnico Juan Carlos Osorio e ainda chutou um copo d’água que estava perto. Isso tudo em um domingo (12) que o São Paulo venceu o Coritiba por 3 a 1, pelo Brasileiro.
“Não concordo com as vaias da torcida para o Paulo Henrique. Não concordo com ninguém [que criticou a atuação do meia]. Nossa torcida deve apoiar o time e não agredir os jogadores”, disse o técnico Juan Carlos Osorio, defendendo Ganso das vaias.
Já quando questionado sobre a atitude de Ganso ao deixar o campo, Osorio disse que vai ter uma conversa particular com o camisa 10 na quarta-feira (15), quando o time retornará aos treinos.
“Sinceramente, a atitude dele não é algo que me incomoda e me perturba. Entendo que o jogador está de cabeça quente, com a adrenalina alta e não que deixar o campo. Comigo não há problema. Mas entendo que a atitude dele não é boa para o coletivo”, disse o treinador.
Osorio também foi perguntando como avalia atitudes como a de Ganso no futebol brasileiro. Recentemente, outros dois jogadores tiveram atitudes parecidas. O meia Michel Bastos reclamou ao ser substituído contra o Fluminense e, no mesmo jogo, Centuríon reclamou de ter entrado em campo apenas nos minutos finais do confronto, no Morumbi.
“Concordo [com o repórter]. Há falta de espírito coletivo entre os jogadores. Não tomo como uma situação pessoal contra mim. Mas falta respeito ao companheiro que entra no jogo. Por isso vou conversar com o Ganso na quarta-feira [15]”, disse Osorio.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima