Paraná é polo fornecedor de alface americana para redes fast food

O Paraná está se tornando um grande polo produtor e fornecedor de alface, de qualidade, para redes de lanchonetes, restaurantes fast food e de supermercados em todo País. A empresa Eco Axial investiu R$ 30 milhões no município de Castro para produção em escala de alface americana e tomate, que serão fornecidos para redes de lanchonetes e restaurantes.

A primeira colheita da alface ocorreu nessa terça-feira (22), com a presença do secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, e do presidente da Emater em exercício Richard Golba.

Divulgação
O Paraná está se tornando um grande polo produtor e fornecedor de alface, de qualidade, para redes de lanchonetes, restaurantes fast food e de supermercados em todo País

O empreendimento, instalado há quatro meses, numa área total de 70 hectares, com 30 hectares de cultivo, terá uma produção de 8 milhões de quilos de alface por ano, que vai abastecer redes de lanchonetes e restaurantes como McDonalds, Burguer King, Out Back e supermercados como Wall Mart, Carrefour e Pão de Açúcar.

Inicialmente a empresa implantou o cultivo de alface americana, dividido em 16 megaestufas automatizadas, para que a produção seja em escala e de qualidade. Para o início do próximo ano serão cultivados mais 9 hectares com tomate, também em megaestufas. Trata-se de uma estrutura moderna, com tecnologia holandesa, que reduz a luminosidade em excesso durante o dia e protege o cultivo de vendavais, granizo e geadas.

A tecnologia aplicada explica três quartos do sucesso do empreendimento. E o cultivo em ambiente protegido vai crescer e abastecer o mundo, prevê o empresário Rodrigo Ferro, diretor da Eco Axial.

Em Castro, o empreendimento está gerando 200 empregos diretos. A empresa Eco Axial é resultante de fusão entre as empresas Eco Sabor e Rio de Una, com sede em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, onde é proprietária da empresa Rio de Una, que também processa legumes e verduras e fornece para grandes redes de lanchonetes e restaurantes fast foods.

Segundo Ferro, nem 5% da produção da empresa fica no Paraná, sendo praticamente toda exportada para outros Estados. O empresário disse que Castro foi escolhida estrategicamente para o empreendimento devido às características do clima e pela proximidade com os grandes centros consumidores.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima