Premiê turco diz não ver motivo para suspender plano de usina com a Rússia

O primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, disse nesta segunda-feira (14) que não há motivo para suspender o projeto de construção da usina nuclear de Akkuyu, feito em parceria com a Rússia. As autoridades turcas disseram na semana passada que a construtora russa havia parado as obras.

O projeto de US$ 20 bilhões (R$ 78 bilhões) prevê a construção da primeira usina nuclear da Turquia, e se tornou objeto da inflamada tensão entre os governos turco e russo.

Os dois países têm trocado farpas desde 24 de novembro, quando a aviação turca derrubou um jato de guera russo próximo a fronteira com a Síria. Em retaliação, Moscou ameaçou estabelecer sanções econômicas contra a Turquia.

As tensões voltaram a se acirrar no domingo (13), quando um navio de guerra russo deu tiros de advertência a uma embarcação turca no mar Egeu para evitar uma colisão. Após o incidente, o Ministério da Defesa russo convocou o adido militar da Turquia para esclarecimentos.

O chanceler turco, Mevlut Cavusoglu, reagiu nesta segunda-feira dizendo que a atitude de alertar a embarcação foi “exagerada” e que a paciência da Turquia com a Rússia “tem limites”.

“O nosso era apenas um barco de pesca, parece-me que a reação do navio da Marinha russa foi exagerada”, afirmou Cavusoglu em entrevista ao jornal italiano “Corriere della Sera”. “A Rússia e a Turquia certamente devem restabelecer as relações de confiança que sempre tiveram, mas nossa paciência tem um limite”.

O ministro também criticou a campanha russa de ataques aéreos na Síria, iniciada no fim de setembro, dizendo que estava destinada a sustentar o regime do ditador Bashar al-Assad, aliado da Rússia e inimigo da Turquia e do Ocidente, e não combater a milícia radical Estado Islâmico (EI), que controla partes do país e do vizinho Iraque.

DESLOCAMENTO DE TROPAS

A Turquia deslocou parte de seus soldados estacionados em uma base no Iraque como parte de um “rearranjo” de suas tropas, informou nesta segunda-feira a agência estatal Anadolu.

Segundo apurou a agência, entre 10 e 12 veículos militares, incluindo tanques, deixaram o campo de Bashiqa em direção ao norte.

No fim de novembro, a Turquia aumentou a presença de tropas no Iraque para ajudar na libertação de Mossul, maior cidade iraquiana sob controle do EI. Alguns efetivos já estavam no país desde o ano passado para treinar grupos armados.

Ancara diz que a presença de tropas adicionais no Iraque é importante para proteger seus treinadores das crescentes ameaças do EI contra soldados turcos. O governo na Bagdá exigiu a retirada imediata das tropas turcas no país.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima