SBT é condenado a multa de 700 mil por merchandising em novela infantil

CAROL PRADO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O SBT foi condenado na 5ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo a pagar multa de R$ 700 mil por danos morais coletivos em um processo que se arrasta desde 2013 e acusa a emissora de praticar merchandising infantil na novela “Carrossel”. Cabe recurso à decisão.

A ação movida pelo Procon de São Paulo cita exemplos de publicidade indireta -formato em que a propaganda sugere uma identificação do produto com o personagem exibido na tela- veiculados entre maio e agosto de 2012 na atração infantil.

Em sentença do último dia 1º, o juiz Luis Felipe Bedendi afirma que a emissora “valeu-se da ingenuidade, da falta de perspicácia e da imaturidade do público infantil para dele se aproveitar economicamente”.

Em 2013, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) determinou novas regras em relação à publicidade dirigida ao público infantil (até 12 anos). Entre as medidas, proibiu a inclusão de publicidade no conteúdo da programação voltada às crianças e adolescentes.

Procurado, o SBT informou apenas que vai recorrer da decisão.

Não é a primeira vez que a emissora é penalizada por merchandising indevido. Em 2011, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça multou o canal em R$ 1 milhão por exibir ação publicitária indireta nos programas “Carrossel Animado”, “Bom Dia & Cia”, “Sábado Animado” e “Domingo Animado”.

A condenação se deu porque, nas atrações, os apresentadores anunciavam as marcas em vez dos nomes dos objetos dados de presente aos telespectadores participantes de gincanas.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima