Soja, milho e frango impulsionam renda do produtor paranaense

Cleverson Beje/Faep

O faturamento do setor agropecuário paranaense, medido pelo VBP (Valor Bruto da Produção), está estimado em um acréscimo de 3% em 2015, chegando próximo de R$ 73 bilhões. A projeção foi feita pelo Deral (Departamento de Economia Rural) da Seab (Secretaria de Estado Agricultura e do Abastecimento). A safra recorde de soja e o bom momento do milho e da avicultura devem impulsionar a renda do produtor nesse ano.

O VBP mede o rendimento bruto do produtor rural da porteira da fazenda para dentro. Se confirmado, o resultado vai superar o crescimento registrado em 2014, quando a agropecuária do Estado teve avanço de 2% e somou um VBP de R$ 70,6 bilhões.

A maior contribuição deve ser da soja, responsável por 21% do total faturado pelo setor agropecuário no Paraná. A previsão é que o VBP da soja cresça 8% sobre os R$ 15 bilhões registrados em 2014.

No milho safrinha, o VBP deve aumentar 6%, chegando a R$ 3,57 bilhões, e no frango de corte é esperado um avanço de 1% sobre os R$ 10,2 bilhões registrados no ano passado.

A projeção para 2015 é preliminar e ainda depende do comportamento dos preços e da safra de inverno, que ainda está suscetível ao clima. Mas tudo aponta, até agora, para um bom desempenho, de acordo com Marcelo da Silva Gomes, economista do Deral.

Com o andamento da safra, o Deral revisou para cima, a estimativa de produção, que deve chegar ao recorde de 38,05 milhões de toneladas de grãos, somando as safras de verão e inverno. Isso representa 6% a mais do que a safra anterior.

Para a segunda safra de milho é esperado um crescimento de produção de 4% — 10,78 milhões de toneladas. As geadas que tivemos até agora foram fracas, então não há previsão, no momento, de problemas para a safra de inverno, afirma Gomes.

O trigo, cujo plantio foi 88% concluído, a previsão é de um crescimento de 3% na produção, para 3,96 milhões de toneladas. A produtividade deve aumentar 9%, para 2.991 quilos por hectare.

Produção recorde e câmbio

Parte dos resultados favoráveis se deve à soja. Nesse ano, os produtores colheram 16,9 milhões de toneladas de soja, o que representou uma crescente de 16%.

Apesar dos preços mais baixos das commodities agrícolas em relação ao ano passado, o real desvalorizado na comparação com o dólar vem favorecendo o faturamento dos produtores. A queda de quase 20% nos preços internacionais em relação ao ano passado está sendo compensada pelo dólar, que na casa dos R$ 3,10 ajudou a melhorar a condição do agricultor, diz o economista Pedro Loyola, coordenador do departamento técnico e econômico da Faep (Federação da Agricultura do Paraná).

O mercado ainda está bastante volátil, mas existe a possibilidade de recuperação do preço. Capitalizado, o produtor paranaense está comercializando mais lentamente a safra desse ano, acrescenta Loyola.

Avicultura deve crescer 4%

Segundo setor de maior peso no VBP do Estado, com 14% de participação, a avicultura segue com bom desempenho. Maior produtor e exportador de frango do País, o Paraná deve registrar uma alta de 4% na produção em 2015, segundo o Sindiavipar (Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Paraná).

De janeiro a maio, o Paraná exportou 551,6 mil toneladas de frango, 10% mais do que no mesmo período do ano passado. Os frigoríficos do Estado respondem por 30% das exportações do país.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima