Som falha, mexicanas surpreendem e Brasil fica em 4º no nado

MARCEL MERGUIZO, ENVIADO ESPECIAL
TORONTO, CANADÁ (FOLHAPRESS) – Diariamente uma falha. E o Pan de Toronto mantém sua média de erros no terceiro dia de competições, mesmo antes da cerimônia de abertura, que acontece nesta sexta-feira (10).
Desta vez a falha foi na disputa por equipes do nado sincronizado. No meio da apresentação mexicana, o som parou e a música country que dava ritmo às oito atletas na piscina foi interrompida.
A equipe do México saiu da água e voltou 12 minutos depois, após a apresentação das peruanas. Na segunda tentativa, nada de errado aconteceu e as mexicanas acabaram como as mais aplaudidas da tarde, atrás apenas das canadenses, donas da casa.
E mais, o México acabou o primeiro dia com a segunda melhor nota na rotina técnica (85.6740). “Pelo o que estávamos vendo delas neste ano, surpreenderam, sim”, disse a técnica brasileira Maura Xavier à Folha.
A liderança ficou com o Canadá, favorito ao título, com 87.9094. As terceiras colocadas foram as norte-americanas, com 82.6018.
Na quarta posição, o Brasil. A equipe formada por Luisa Borges, Maria Eduarda Miccuci, Lorena Molinos, Bia Feres, Branca Feres, Maria Bruno, Sabrine Lowe e Lara Teixeira tirou a nota 80.8605 e, assim como o dueto, terminou o primeiro dia abaixo do esperado, segundo as próprias atletas e técnicas.
“É um resultado que não esperávamos”, disse Lara Teixeira, capitã da seleção brasileira. “Foi só uma etapa, a primeira batalha, ainda não acabou a guerra”, completou Maria Bruno. “A gente repetiu o que vem fazendo nos treinos”, concluiu Bia.
Para as atletas, é difícil julgar se a parada da música atrapalhou ou ajudou o time do México. Segundo Lorena Molinos, a falha no som é algo que elas estão acostumadas nos treinos.
A técnica da seleção viu pequenos erros na apresentação nacional, mas, segundo ela, não ao ponto de ficarem em quarto. Ela não gostou das notas.
OUTRAS FALHAS
Logo no primeiro dia de disputas do Pan, o placar eletrônico do polo aquático falhou em partida do Brasil.
No segundo dia, na Vila Pan-Americana, durante a cerimônia de hasteamento da bandeira, o Hino Nacional brasileiro não foi executado. Em seu lugar, tocou o hino de Barbados.
Agora, no terceiro dia, foi a vez da música da equipe mexicana parar no meio da apresentação da equipe no nado sincronizado.
DUETO
No início da tarde desta quinta, o dueto brasileiro composto por Luisa Borges, 19, e Maria Eduarda Miccuci, 20, “jogaram capoeira” na piscina do Centro Aquático Pan-Americano em Toronto e ficaram na quarta colocação na rotina técnica, resultado abaixo do esperado.
Em 2003, 2007 e 2011, equipe e dueto do Brasil ficaram no terceiro lugar no pódio nos Jogos Pan-americanos. Ao todo, o nado brasileiro já tem oito bronzes em Pan e busca em Toronto uma medalha de cor diferente.
No nado sincronizado, 15 árbitros julgam execução, impressão e elementos de cada dueto.
No sábado (11), elas retornam à piscina para a rotina livre. A soma das duas notas define o pódio no Pan.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima