Teixeira admite ser alvo de investigação nos EUA e ataca Hawilla

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira afirmou em entrevista ao portal Terra que é alvo da investigação do FBI que prendeu treze dirigentes acusados de corrupção no futebol.
O cartola, que deixou a entidade em 2012, se diz vítima de “mentiras” do empresário J. Hawilla, acusado de fraude nos EUA e que aceitou colaborar com as investigações.
Em maio, a Folha de S.Paulo revelou que Teixeira era um dos coconspiradores apontados nos documentos das investigações americanas que cobraram propinas da Traffic, empresa de Hawilla. O outro investigado seria Marco Polo Del Nero, atual presidente da CBF.
“O dono da Traffic do Brasil mentiu deslavadamente (para a justiça americana). Disse, por exemplo, que eu fui aos Estados Unidos negociar um novo contrato para a Copa do Brasil em 2011. Basta consultar meu passaporte, para ver se existe essa viagem. Ele disse que eu recebi propina por essa transação. Mentira. Cadê o dinheiro? Foi depositado em que banco, em que agência? Ele age por pura vingança”, afirmou Ricardo Teixeira ao Terra.
O ex-presidente da CBF diz que rompeu com Hawilla em 2011, após o Comitê Executivo da Conmebol questionar os valores pagos pela Traffic pelos direitos da Copa América.
“Com medo de perder aquela competição, a Traffic então ofereceu US$ 40 milhões. Isso despertou ainda mais a ira do comitê. O sentimento foi o seguinte: se a empresa propõe subir de 18 para 40 é porque está lucrando em exorbitância e estamos todos sendo enganados por muito tempo. Então todos ali decidiram não mais fechar contrato com a Traffic”, afirmou Teixeira.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima