Tesoureiro da Conmebol é preso na Bolívia acusado de corrupção

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O presidente da Federação Boliviana de Futebol e também tesoureiro da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), Carlos Chávez, foi preso nesta sexta-feira (17) acusado de corrupção.
Em princípio, o caso envolve má gestão financeira na federação da Bolívia, mas Chávez sofria pressão para renunciar aos cargos depois que o Departamento de Justiça dos EUA revelou investigação e suspeita de que dirigentes das federações sul-americanas tenham recebido suborno para acertar acordos comerciais com empresas de marketing esportivo.
Chávez foi um dos poucos dirigentes da Conmebol que esteve o no Chile de 11 de junho a 4 de julho, acompanhando a Copa América.
Ele pretou depoimento nesta sexta ao Ministério Público local, que ao fim do encontro de oito horas pediu sua prisão à Justiça. Além de Chávez, foi preso o secretário-geral da Federação da Bolívia, Alberto Lozada.
Chávez negou, em depoimento, que tenha feito uso errado do dinheiro recebido pela federação. Ele preside a entidade desde 2006, tendo sido reeleito para o cargo em 2010.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima