Thiago Pereira chega em 1º, mas é desclassificado e adia recorde

ITALO NOGUEIRA E PAULO ROBERTO CONDE, ENVIADOS ESPECIAIS
TORONTO, SP (FOLHAPRESS) – O nadador Thiago Pereira terminou a prova dos 400 medley, nesta quinta-feira (16), em primeiro lugar, mas foi desqualificado e terá duas novas tentativas para igualar e superar o cubano Erick Lopez em total de medalhas em Jogos Pan-Americanos.
O ouro ficou com outro brasileiro, o nadador Brandonn Almeida, 18.
De acordo com Pereira, a irregularidade apontada pela arbitragem ocorreu na virada entre o peito e o crawl. Segundo os juízes, ele encostou apenas uma das mãos na borda da piscina, em vez das duas exigidas pela regra. O nadador disse que isso não ocorreu.
“Pela mecânica do nado, não teria como eu bater com uma mão. Não fiz isso. Com uma coisa dessa a gente fica puto, não tem jeito”, disse o nadador.
O diretor executivo da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos), Ricardo de Moura, vai fazer uma apelação contra a decisão. A premiação da prova, que já deveria ter ocorrido, foi adiada.
Ele tentava igualar a marca de 22 medalhas de Lopez. Pereira terá outras duas provas na sexta-feira (17) para atingir a marca.
O brasileiro completou a prova com 4min14s08, na frente de Brandonn Almeida, com 4min14s47, que acabou ficando com o ouro. A prata foi para o canadense Luke Reilly, com 4min16s16, e o bronze, para o norte-americano Max Williamson, com 4min16s91.
“Sempre espero o melhor. Tinha me sentido muito bem pela manhã, dei uma controlada, mas nunca imaginava fazer esse tempo. É a minha chance de me firmar”, disse Almeida, que afirmou ter como foco de treinamento o Campeonato Mundial Junior de Cingapura, em agosto.
Com a marca, Almeida bateu o recorde mundial junior na prova.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima